Diabetes e café | É bom para a saúde? | Café e prevenção do diabetes | Efeitos na glicose e insulina | Exercícios | Antes e após as refeições | Em jejum | Beber habitualmenteOutros benefícios | Café com ingredientes adicionados | Riscos e avisos | Cuidados | Quantas xícaras? | Visão geral | Recomendações | Fontes

Caso não queira ou não consiga ler este conteúdo, ele também pode ser ouvido em nosso site. Para isso clique aqui, ou use o tocador abaixo.

O café já foi condenado como sendo algo ruim para a saúde. No entanto, há evidências crescentes de que ele pode proteger contra certos tipos de câncer, doenças do fígado e até mesmo depressão.

 

Há também pesquisas convincentes para sugerir que aumentar o consumo de café pode, na verdade, diminuir o risco do desenvolvimento de diabetes tipo 2. Esta é uma boa notícia para aqueles que não podem enfrentar o dia até ter uma xícara matinal. 

 

Isso levou algumas pessoas com diabetes a se perguntarem se o café ou possivelmente a cafeína podem ser benéficos.

 

O café contém muitos produtos químicos além da cafeína e, de acordo com pesquisas atuais, parece que alguns deles têm efeitos benéficos, enquanto outros têm efeitos menos positivos.

 

No entanto, para aqueles que já têm diabetes tipo 2, o café pode ter efeitos adversos.

 

Se você está tentando diminuir o risco, já tem diabetes ou simplesmente não pode ficar sem sua xícara de café, saiba mais sobre os efeitos do café na diabetes. Este artigo analisa as investigações científicas sobre os efeitos e riscos do café na diabetes.

 

Diabetes e café: o café é bom para a saúde?

O café contém muitos produtos químicos que têm diferentes efeitos no corpo, incluindo cafeína e polifenois.


Os polifenois são moléculas com propriedades antioxidantes que ajudam a prevenir uma ampla gama de doenças, incluindo diabetes tipo 2, doenças cardíacas e câncer.


Os antioxidantes ajudam a manter o coração saudável. Pessoas com diabetes têm maior risco de desenvolver doenças cardíacas e derrame, e comer muitos alimentos que contenham antioxidantes pode ajudar a reduzir esse risco. Leia sobre alimentos ricos em antioxidantes aqui.


O café também contém magnésio e cromo. O aumento da ingestão de magnésio tem sido associado a taxas mais baixas na diabetes tipo 2.


No entanto, o café contém quantidades muito pequenas, como muitos chás também utilizados por diabéticos, desses nutrientes, em comparação com outros alimentos, e está longe de ser a sua fonte mais indicada.


As seções a seguir examinam especificamente como os componentes do café podem afetar a diabetes.

 

Diabetes e café: possível prevenção da diabetes

De acordo com as pesquisas, beber de 3 a 4 xícaras de café por dia pode ajudar a reduzir o risco de uma pessoa desenvolver diabetes tipo 2.

 

Pesquisadores da Harvard Medicine School rastrearam mais de 100.000 pessoas por cerca de 20 anos e descobriram que as pessoas que aumentaram a ingestão de café em mais de uma xícara por dia tiveram um risco 11 por cento menor de desenvolverem diabetes tipo 2.

 

Por outro lado, as pessoas que reduziram a ingestão de café em um copo por dia aumentaram seu risco de desenvolver diabetes em 17%. Não houve diferença naqueles que tomaram chá.

 

Em um comunicado à imprensa, o principal autor do estudo afirmou:

“Nossas descobertas confirmam as de estudos anteriores que mostraram que o maior consumo de café estava associado a um menor risco de diabetes tipo 2. Mais importante, eles fornecem novas evidências de que as mudanças no hábito de consumo de café podem afetar o risco de diabetes tipo 2 em um período de tempo relativamente curto. ”

 

Em uma revisão publicada posteriormente, os cientistas analisaram 28 estudos, incluindo mais de 1 milhão de participantes no total. Os pesquisadores descobriram que tanto o café com cafeína quanto o descafeinado reduziram o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2.


A evidência acumulada sugere fortemente que beber café pode ajudar a proteger contra essa condição.

 

Seria a cafeína? Ela pode não ser a responsável por esses benefícios. Na verdade, a curto prazo, a cafeína tem demonstrado aumentar os níveis de glicose e insulina. Em um pequeno estudo envolvendo homens, o café descafeinado mostrou um aumento agudo do açúcar no sangue.

 

Diabetes e café: o efeito do café na glicose e insulina

Embora o café possa ser benéfico para proteger as pessoas contra a diabetes, outros estudos mostraram que o seu café preto pode apresentar alguns perigos para as pessoas que já têm diabetes tipo 2.

 

O café puro não parece aumentar diretamente os níveis de açúcar no sangue, o que é uma boa notícia para as pessoas com diabetes que consomem café desta forma, mas há indícios que sugerem que a cafeína do café pode prejudicar a sensibilidade à insulina.


Dito isso, outros compostos do café – principalmente magnésio, cromo e polifenois – podem desempenhar um papel na melhoria da sensibilidade à insulina, o que pode compensar os efeitos da cafeína.


Por causa disso, alguns especialistas sugerem que as pessoas com diabetes bebam café descafeinado – para obter os benefícios de componentes como antioxidantes e minerais, sem afetar a sensibilidade à insulina.

 
 

Exercícios

De acordo com um estudo com diabéticos tipo 2, beber cafeína antes de se exercitar pode ajudar a reduzir os níveis de açúcar no sangue pós exercícios.

 

Outro estudo com diabéticos tipo 1 sugere que tomar um suplemento de cafeína pode atenuar modestamente os níveis baixos de açúcar no sangue durante os exercícios. No entanto, os pesquisadores alertam que isso pode aumentar o risco de hipoglicemia posterior.

 

Diabetes e café: cafeína, glicose no sangue e insulina (pré e pós-refeição)

Tomar café antes de alimentar-se resultou em maior glicemia pós-refeição em pessoas com diabetes tipo 2, e também provoca um aumento na resistência à insulina.

 

De acordo com um estudo recente de 2018, pode haver um proponente genético envolvido. Os genes podem desempenhar um papel no metabolismo da cafeína e em como ela pode afetar o açúcar no sangue. Neste estudo, as pessoas que metabolizaram a cafeína mais vagarosamente apresentaram maiores níveis de açúcar no sangue do que aquelas que metabolizaram a cafeína mais rapidamente.

 

Claro, há muito mais no café do que cafeína. Essas outras substâncias podem ser responsáveis ​​pelo efeito protetor observado em um estudo de 2014.

 

Beber café com cafeína durante um longo período também pode alterar seu efeito na glicose e na sensibilidade à insulina. A tolerância ao consumo no longo prazo pode ser a causa do efeito protetor.

 

Um estudo mais recente, de 2018, mostrou que os efeitos a longo prazo do café e da cafeína podem estar ligados à diminuição do risco de pré-diabetes e diabetes.

Glicemia e insulina em jejum

Outro estudo de 2014 analisou um efeito de “médio alcance” em pessoas sem diabetes que bebiam 1 litro de café filtrado regularmente por dia e outras que se abstiveram de tomar café.

 

No final do estudo de quatro semanas, aqueles que consumiram mais café tinham maiores quantidades de insulina no sangue. Mesmo quando em jejum.

 

Se você tem diabetes tipo 2, seu corpo é incapaz de usar insulina de forma eficaz para controlar o açúcar no sangue, e o efeito de “tolerância” observado no consumo de café a longo prazo leva muito mais do que quatro semanas para se desenvolver.

 

Diabetes e café: bebendo café habitualmente

Há uma clara diferença em como as pessoas com diabetes e pessoas sem diabetes respondem ao café e à cafeína.

 

Um estudo de 2018 foi realizado com bebedores habituais de café com diabetes tipo 2 e que monitoravam seu açúcar no sangue durante as atividades diárias.  Durante o dia, foi mostrado que logo depois que eles tomavam café, o açúcar no sangue aumentava. O nível de açúcar no sangue era maior nos dias em que eles tomavam café do que nos dias em que não tomavam.

 

Diabetes e café: outros benefícios de saúde do café

Existem outros benefícios para a saúde ao se beber café que não estão relacionados à prevenção da diabetes.

 

Estudos mais recentes com fatores de risco controlados têm demonstrado outros benefícios. Eles incluem proteção potencial contra:

  • mal de Parkinson
  • doença hepática, incluindo câncer de fígado
  • gota
  • Alzheimer
  • cálculos biliares

 

Esses estudos mais recentes também mostraram que o café parece diminuir o risco de depressão e aumentar a capacidade de se concentrar e pensar com clareza.

 

Diabetes e café: café com ingredientes adicionados

Se você não tem diabetes, mas está preocupado em desenvolvê-la, tome cuidado antes de aumentar sua ingestão de café. Pode haver um efeito positivo do café em sua forma pura. No entanto, os benefícios não são os mesmos para bebidas de café com adoçantes adicionados ou produtos lácteos.

 

O café pode ser mais popular do que nunca, mas beber em uma base regular não é a melhor maneira de gerenciar a diabetes – mesmo que haja evidências crescentes de que ele pode ajudar a prevenir a diabetes.

 

Bebidas cremosas e açucaradas encontradas em cafeterias são frequentemente carregadas com carboidratos não saudáveis. Eles também são muito ricos em calorias.

 

O impacto do açúcar e da gordura em muitas bebidas de café e expressos pode diminuir o bem de qualquer efeito protetor do café.

 

O mesmo pode ser dito sobre o café açucarado e até adoçado artificialmente. Uma vez que o adoçante é adicionado, o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2 é aumentado. Consumir muitos açúcares adicionados está diretamente ligado à diabetes e à obesidade.

 

Tomar bebidas de café que são ricas em gordura saturada ou açúcar em uma base regular pode aumentar a resistência à insulina. Pode também contribuir para a diabetes tipo 2.

 

Há opções de bebidas com menos carboidratos e gordura. As bebidas de café “light” permitem-lhe acordar de manhã ou refrescar-se à tarde sem grandes aumento da glicemia.

 

Algumas dicas saudáveis ​​para dar sabor ao seu café incluem:

  • adicionar baunilha e canela como uma opção saudável e sem carboidratos
  • escolher uma opção de leite sem açúcar e gordura, como leite de coco, linho, soja, castanha, amendoim ou amêndoas.
banner 3 passos para controlar a diabetes
3 passos para controlar a diabetes

 

A cafeína é prejudicial?

A cafeína é o principal estimulante do café. Ocorre naturalmente em grãos de café e chá verde. A cafeína acelera o sistema nervoso central e pode aumentar a vigilância mental, aliviar o cansaço, espantar o sono e melhorar a concentração.

 

Na população em geral, 400 miligramas de cafeína – ou 4 a 5 xícaras de café – por dia geralmente não têm efeitos negativos.

 

No entanto, como as pesquisas em pessoas com diabetes têm sido confusas, é uma boa ideia perguntar a um profissional de saúde sobre a quantidade de café segura  para você, ou simplesmente medir e acompanhar a sua glicemia ao consumir café e verificar sua reação individual ao seu consumo. Algumas pessoas são mais sensíveis aos efeitos da cafeína do que outras. Isso é válido para pessoas com ou sem diabetes.

 

Também é importante observar que adicionar açúcar ao café aumenta os níveis de açúcar no sangue. Excesso de adoçantes também é contraindicado. Pessoas com diabetes se beneficiam com a escolha de bebidas sem adição de açúcar. Algumas pessoas usam adoçantes artificiais, mas a indicação mais segura é que alguns desses produtos, especialmente a sucralose, pode afetar negativamente os níveis de açúcar no sangue.

 

Um adoçante não calórico compatível com a diabetes, como a estévia, pode ser uma escolha de fonte confiável mais saudável quando uma bebida precisar de adoçante. Uma sugestão é tentar usar um pouco menos a cada dia, com o objetivo de acabar com o uso de adoçantes por completo.

 

Diabetes e café: cuidados

Mesmo para indivíduos saudáveis, a cafeína no café pode ter alguns efeitos colaterais.

 

Os efeitos colaterais mais comuns da cafeína incluem:

  • dores de cabeça
  • inquietação
  • ansiedade

 

Como em quase tudo, a moderação é a chave no consumo de café. No entanto, mesmo com o consumo moderado, o café tem riscos que você deve avaliar.

 

Esses riscos incluem:

  • um aumento do colesterol com cafés não filtrados ou do tipo expresso
  • um risco aumentado de azia
  • níveis elevados de glicose no sangue após uma refeição

 

Outras coisas a ter em mente:

  • Os adolescentes devem consumir menos de 100 miligramas (mg) de cafeína por dia. Isso inclui todas as bebidas que contenham cafeína, não apenas café.
  • As crianças pequenas devem evitar bebidas com cafeína.
  • Adicionar muito adoçante ou creme pode aumentar o risco de diabetes e levar ao excesso de peso.

Diabetes e café: quantas xícaras?

Isso depende da pessoa, pois não há uma recomendação única para todos os casos. No entanto, em geral, consumir café sem açúcar, com moderação é bom para aqueles com diabetes tipo 2. A recomendação típica é não ingerir mais de 400 miligramas de cafeína por dia. Isso equivale a cerca de 4 xícaras de café.

 

Se o seu humor, sono, açúcar no sangue e energia estão sendo afetados, limitar a ingestão pode ser recomendado. A coisa mais importante ao escolher o café para pessoas com diabetes ou aqueles que gerenciam seu peso é prestar atenção ao teor de carboidratos do leite e adição de adoçantes que acompanhem a ingestão de café.

 

É aconselhável reduzir ou eliminar os adoçantes artificiais, pois estes demonstraram perturbar as bactérias intestinais, causar ânsias e podem levar a comer em demasia, além de terem um impacto negativo no controle do peso e do açúcar no sangue.

 

Os lattes tradicionais, os cappuccinos e os mistos contêm leite, e podem conter adoçantes adicionados. Bebidas cafeínadas que não têm carboidratos incluem os cafés americanos, expressos ou apenas café preto ou puro. Se você prefere grãos moídos de café ou pó de café instantâneo, não há diferença nutricional, no entanto, o sabor, a frescura e o teor de cafeína podem variar.

 

Visão geral

Nenhum alimento ou suplemento oferece proteção total contra a diabetes tipo 2. Se você tem pré-diabetes ou está em risco de desenvolver diabetes, perder peso, fazer exercícios e consumir uma dieta balanceada e rica em nutrientes é a melhor maneira de reduzir seu risco.

 

Tomar café para evitar diabetes não garante um bom resultado. Mas se você já toma café, pode não fazer mal.

 

Tente reduzir a quantidade de açúcar ou gordura que você consome com o café. Converse também com seu médico sobre as opções de dieta, exercícios e os efeitos que o consumo de café pode ter.

 

Se você gosta de café, não há necessidade de parar só porque você tem diabetes. Mas é fundamental monitorar os níveis de açúcar no sangue depois de consumir café para ter uma noção melhor de seus efeitos em seu corpo.

 

E se você estiver tomando uma xícara de café todas as manhãs, certifique-se de ela faça parte de um café da manhã saudável e equilibrado. Você pode encontrar ideias para opções de café da manhã saudável aqui.

 

Não se esqueça de falar com o seu médico ou nutricionista para obter conselhos sobre quanto café é ideal para você para manter o controle dos níveis de açúcar no sangue.

 

Recomendações

Para controle da diabetes através de uma alimentação saudável, dieta recomendada, receitas, livros gratuitos e outras publicações indicadas para diabéticos visite Produtos Recomendados neste site. Para saber mais, clique aqui.

 

Fontes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *