TEM DIABETES E DORES? ENTÃO LEIA ISSO!

diabetes e dores

Introdução | Parte 1 – Conceitos | Parte 2 – Neuropatia diabética periférica | Parte 3 – Outros tipos de neuropatias diabéticas | Leve com você | Recomendações | Fontes

Diabetes e dores: caso não queira ou não consiga ler este conteúdo, ele também pode ser ouvido em nosso site. Para isso clique aqui, ou use o tocador abaixo.

Introdução

Este artigo está dividido em três partes, que você pode ler de acordo com o seu interesse:

Parte 1 – Noções Sobre Neuropatias

Parte 2 – Neuropatia Diabética Periférica, o tipo mais comum em diabéticos, que ocorre normalmente nas extremidades do nosso corpo (pés, mãos, pernas, braços). Clique aqui para saber mais.

Parte 3 – Outros Tipos de Neuropatias Diabéticas: simétrica, autonômica, lombar. Clique aqui para saber mais.

 

Diabetes e dores – Parte 1

Como as dores neuropáticas se manifestam?

Pessoas com neuropatias sentem a dor de maneiras diferentes. Para alguns, é uma dor aguda no meio da noite. Para outros, os sintomas podem incluir formigamento ou queimação crônicos durante todo o dia.

 

A dor nervosa descontrolada pode ser difícil de suportar. Mas com tratamento, muitas vezes pode ser controlada de forma adequada.

 

Supõe-se que a dor seja um aviso. Quando sua mão fica muito perto de um fogão, os nervos enviam um sinal de dor ao cérebro – e você recua antes de se queimar. Mas se você tiver danos nos nervos, esse sistema não estará funcionando bem.

 

Nervos danificados podem enviar sinais falsos – e você sente uma dor real, mas muitas vezes sem uma causa. Ou ao contrário, nervos danificados também podem fazer com que você não sinta dor durante uma lesão.

 

Progressão da neuropatia

Alguns casos podem melhorar com o tempo se a causa subjacente for tratada, mas em outros, o dano pode ser permanente ou piorar gradualmente com o tempo.

 

A neuropatia diabética é uma complicação da diabetes que resulta em danos ao sistema nervoso. É uma doença progressiva e os sintomas pioram com o tempo.

 

A neuropatia ocorre quando níveis elevados de açúcar no sangue danificam os nervos do corpo. Pode afetar praticamente qualquer nervo do corpo, com uma ampla gama de sintomas.

 

Os nervos são essenciais para o funcionamento do corpo. Eles permitem que as pessoas se movam, enviem mensagens sobre a sensação das coisas e controlem funções automáticas, como a respiração.

 

Existem vários tipos. Alguns envolvem os nervos periféricos, enquanto outros danificam os nervos que irrigam os órgãos internos, como o coração, a bexiga e o intestino. Desta forma, pode afetar muitas funções corporais.

 

Entre um terço e metade das pessoas com diabetes tem neuropatia, de acordo com o Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais (NIDDK).

 

Diabetes e dores – gatilhos

Alguns acham que certas posições ou atividades corporais – como ficar na fila ou caminhar – tornaram-se dolorosas. Danos nos nervos também podem tornar seu corpo excessivamente sensível. Por exemplo, em alguns casos pode-se sentir dor por causa dos lençóis colocados levemente sobre o corpo.

 

Danos nos nervos podem causar perda de sensibilidade ou dormência nas pontas dos dedos, tornando mais difícil fazer coisas com as mãos. Tricotar, digitar e amarrar os sapatos podem ser atividades difíceis. Muitas pessoas com lesões nervosas dizem que seu sentido do tato parece ter diminuído, como se estivessem sempre usando luvas.

 

Diabetes e dores – sono

A dor nos nervos costuma piorar à noite. O toque dos lençóis ou a pressão de deitar-se pode ser terrivelmente desconfortável.

 

Além de entorpecer o sentido do tato, os danos aos nervos podem resultar em fraqueza muscular ou afetar o sentido de equilíbrio. Qualquer um deles pode causar quedas. Dispositivos de assistência – como suspensórios, bengalas ou andadores – podem ajudar.

 

Diabetes e dores – não sentir dor, quando deveria

Danos nos nervos não causam apenas dor. Também pode causar dormência que o impede de sentir dor quando é importante. Pessoas com lesões nervosas às vezes se machucam sem perceber. Diabéticos devem verificar regularmente se há lesões especialmente seus pés.

 

Se não for tratada, a lesão no nervo pode piorar com o tempo. Às vezes, pode começar nos nervos mais distantes do cérebro e da medula espinhal – como os dos pés e das mãos. Em seguida, pode subir para as pernas e braços.

 

No entanto, se você receber tratamento para a condição médica que está causando o dano ao nervo, poderá ser capaz de interromper o dano – e até mesmo revertê-lo.

 

Diabetes e dores – avaliando sua dor

Em muitos casos, a dor nos nervos pode ser controlada. Comece fazendo uma avaliação no consultório médico. Esteja pronto para responder a perguntas. Há quanto tempo você sente dor? Qual é a sensação? Quais são os gatilhos? Como isso afeta você? As respostas ajudarão seu médico a descobrir o que está causando sua dor e como tratá-la.

banner 3 passos para controlar a diabetes
3 passos para controlar a diabetes

 

Diabetes e dores – causas da dor de origem nervosa

Muitas condições – como diabetes, herpes zoster e câncer – podem causar lesões e dores nos nervos. Há ainda algumas pessoas desenvolvem dores nos nervos sem motivo conhecido.

 

É importante tentar encontrar a causa da sua dor, como glicemia não controlada, e buscar tratamento adequado para ela. Pode ajudar a aliviar a dor e interromper a progressão dos danos, mas além da diabetes, a neuropatia também deve ser tratada.

 

Diabetes e dores – medicamentos

Os analgésicos de venda livre podem ser o primeiro tratamento recomendado pelo médico. Estes podem incluir medicamentos anti-inflamatórios não esteroides – como o Ibuprofeno – ou outros analgésicos, como paracetamol ou medicamentos vendidos com receita médica.

 

Outras opções incluem cremes analgésicos, pomadas, óleos, géis ou sprays usados ​​na pele.

 

Existem muitos medicamentos que podem ajudar no tratamento das dores neuropáticas. Alguns são analgésicos poderosos. Outros tipos de drogas também podem ajudar. Os medicamentos originalmente usados ​​para depressão e epilepsia são frequentemente prescritos para aliviar dores nos nervos.

 

Diabetes e dores – tratamentos naturais

Tratamentos complementares ou alternativos podem ajudar. Por exemplo, estudos descobriram que a acupuntura pode aliviar a dor nos nervos. Em alguns casos, a dor nos nervos é causada ou agravada por uma deficiência de vitamina B-12. Tomar suplementos – sob a orientação do seu médico – pode ajudar.

 

Você pode tomar outras medidas para combater a dor crônica. Praticar exercícios regularmente, manter um peso saudável e melhorar a dieta podem ajudar bastante.

 

Diabetes e dores – Parte 2 – Neuropatia diabética periférica

A causa mais comum de neuropatia periférica é a diabetes. Cerca de 60 a 70 por cento das pessoas com diabetes têm algum grau de neuropatia.

 

Os níveis elevados de açúcar no sangue causam danos às paredes dos minúsculos vasos sanguíneos que fornecem oxigênio e nutrientes aos nervos nas extremidades das mãos e dos pés, e aos órgãos essenciais do corpo, como olhos, rins e coração.

 

Como resultado, não apenas a pele fica danificada, mas a perda de sensibilidade aumenta ainda mais o risco de danos.

 

A neuropatia diabética é a principal causa de problemas nos pés e úlceras em pessoas com diabetes. Acredita-se que cerca de metade de todas as pessoas com diabetes tenham neuropatia diabética.

 

Diabetes e dores – neuropatia periférica

A neuropatia periférica se refere a um problema com os nervos periféricos, aqueles que ficam mais próximos da parte externa do organismo. Esses nervos enviam mensagens do sistema nervoso central, do cérebro e da medula espinhal para o resto do corpo.

 

Os nervos periféricos dizem ao corpo quando, por exemplo, as mãos estão frias. Pode causar formigamento, tremor, dormência e fraqueza muscular em várias partes do corpo.

 

A neuropatia periférica pode afetar uma variedade de nervos diferentes, portanto, pode ocorrer em vários locais de maneiras diferentes. Pode afetar um único nervo ou vários nervos ao mesmo tempo.

 

Diabetes e dores – conceitos importantes

  • A neuropatia é uma complicação comum originada por condições médicas diferentes.
  • Pode envolver os nervos autônomos, os nervos motores (permitem força e movimento) e os nervos sensoriais (controlam as sensações (calor, frio, dor).
  • Às vezes, afeta um único nervo ou conjunto de nervos, por exemplo, na paralisia de Bell, que afeta um nervo facial.
  • Traumas físicos, lesões repetitivas, infecções, problemas metabólicos e exposição a toxinas e alguns medicamentos são causas possíveis.
  • Pessoas com diabetes apresentam alto risco de neuropatia.

 

Diabetes e dores – tratamento

A síndrome do túnel do carpo é um exemplo de mono neuropatia que afeta um único nervo.

 

O tratamento visa a causa ou proporcionar alívio da dor sintomática e prevenir danos futuros.

 

No caso da neuropatia diabética, lidar com os níveis elevados de açúcar no sangue pode evitar mais danos aos nervos.

 

Diabetes e dores – medicamentos

Os medicamentos podem aliviar a dor e reduzir a queimação, a dormência e o formigamento.

 

Os medicamentos que podem ajudar incluem:

  • drogas normalmente usadas para epilepsia, como a carbamazepina (Tegretol)
  • antidepressivos, como venlafaxina
  • analgésicos opióides, por exemplo, oxicodona (Oxycontin, Oxypynal) ou tramadol (Tilestal,Tramadon). Os analgésicos opioides vêm com avisos sobre os riscos à segurança, pois podem ser viciantes.

 

Os médicos também podem prescrever adesivos para a pele, como o Lidoderme, para alívio temporário da dor localizada. Este contém o anestésico local lidocaína.

 

A escolha do medicamento deve levar em consideração medicamentos para outras condições, para evitar interações indesejadas.

 

Diabetes e dores – outros medicamentos

Anti-inflamatórios não esteroides, de livre comercialização, como o ibuprofeno, podem ajudar a controlar a dor.

 

Pomadas e cremes tópicos, como o creme de capsaicina (Moment), contendo pimenta malagueta, podem aliviar a dor. Adesivos também estão disponíveis.

 

Diabetes e dores – tratamento de mononeuropatias (dor em um único nervo)

Quando a neuropatia é causada pela compressão de um único nervo, o tratamento é similar, independentemente do nervo envolvido. A abordagem depende se a compressão é fixa ou transitória.

 

Uma paralisia dos nervos das mãos e braços pode ser temporária e reversível, ao simplesmente evitar-se a causa da compressão do nervo. Por exemplo, uma pessoa com paralisia do nervo ulnar, que vai da clavícula até a mão, pode simplesmente deixar de se apoiar no cotovelo do braço afetado.

 

O paciente pode ser aconselhado a descansar o membro afetado, ou usar calor e alguns medicamentos para redução da inflamação.

 

Se uma neuropatia de um único nervo não responder a medidas mais simples, a cirurgia pode ser uma opção. A cirurgia também pode ser necessária especialmente se a dor for constante.

banner 3 passos para controlar a diabetes
3 passos para controlar a diabetes

 

Quando ver um especialista?

A consulta com um especialista em dor, como um neurologista, deve ser considerada em qualquer estágio se:

  • a dor é severa
  • a dor limita significativamente as atividades diárias e a qualidade de vida
  • uma condição de saúde subjacente está piorando

 

Diabetes e dores – sintomas

Os sintomas variam de acordo com os tipos de neuropatia.

 

Na neuropatia sensorial, pode-se ter:

  • formigamento e dormência
  • alfinetes e agulhas e hipersensibilidade
  • aumento da dor ou incapacidade de sentir dor
  • perda da capacidade de detectar mudanças no calor e no frio
  • perda de coordenação e da percepção da posição
  • dores com sensações de queimação, facadas, lancetadas, perfurantes ou agudas, que podem ser piores à noite

 

Pode causar úlceras nos pés e nas pernas, infecções e gangrena.

 

Na neuropatia motora, que afeta os músculos os sintomas incluem:

  • fraqueza muscular, levando a instabilidade e dificuldade em realizar pequenos movimentos, como abotoar uma camisa
  • perda de massa muscular
  • espasmos musculares e cãibras
  • paralisia muscular

 

Se os nervos autônomos forem afetados, pode haver problemas com sudorese (suor excessivo), intolerância ao calor, problemas intestinais ou na bexiga e alterações na pressão arterial, levando a tonturas.

 

Diabetes e dores – causas

Muitos tipos de neuropatia são “idiopáticas” ou de causa desconhecida, mas uma série de condições podem desencadeá-las.

 

Diabetes é o causa mais comum de neuropatia periférica crônica. Acontece quando os níveis elevados de açúcar no sangue danificam os nervos.

 

Outras condições médicas e lesões incluem:

  • doença renal crônica: se os rins não estiverem funcionando normalmente, um desequilíbrio de sais e produtos químicos pode causar neuropatia periférica.
  • lesões: ossos quebrados e moldes de gesso apertados podem exercer pressão direta sobre os nervos.
  • infecções: herpes zoster, infecção por HIV, doença de Lyme e outras
  • síndrome de Guillain-Barré: é um tipo específico de neuropatia periférica, desencadeada por infecções
  • algumas doenças autoimunes: incluem artrite reumatóide e lúpus sistêmico (LES).

 

Outras causas incluem:

  • ingestão excessiva de álcool
  • Deficiências de vitamina B12 ou folato
  • alguns medicamentos, por exemplo, aqueles utilizados em quimioterapia e tratamento de HIV
  • doença hepática crônica

 

Distúrbios dos pequenos vasos sanguíneos, comuns em diabéticos com hiperglicemia crônica, podem reduzir o suprimento de sangue aos nervos, resultando em danos ao tecido nervoso.

 

Neuromas, tumores benignos que afetam o tecido nervoso, também podem causar dor neuropática.

 

Diabetes e dores – Parte 3 – Outros tipos de neuropatia diabética

Mais de 100 tipos de neuropatia foram identificados, cada um com suas próprias causas e sintomas.

 

A neuropatia pode afetar:

  • Nervos sensoriais: esses nervos controlam a sensação e os danos podem causar formigamento, dor, dormência ou fraqueza nos pés e nas mãos.
  • Nervos motores: esses nervos permitem força e movimento, e os danos podem causar fraqueza nos pés e nas mãos.
  • Nervos autonômicos: esses nervos controlam os sistemas do corpo, como o digestivo ou cardiovascular. Os danos podem afetar a frequência cardíaca, a pressão arterial e outras funções.

 

Na polineuropatia, vários nervos são afetados.

banner 3 passos para controlar a diabetes
3 passos para controlar a diabetes

 

Tipos de neuropatia

Quatro tipos principais de neuropatias podem afetar o sistema nervoso, incluindo:

  • Neuropatia simétrica periférica: afeta os pés e as mãos. É a forma mais comum de neuropatia diabética.
  • Neuropatia autonômica: ocorre nos nervos que controlam as funções involuntárias do corpo, como digestão, micção ou frequência cardíaca.
  • Neuropatia torácica e lombar ou proximal: lesa os nervos ao longo de uma distribuição específica no corpo, como a parede torácica, costas ou as pernas.
  • Mononeuropatias: podem afetar qualquer nervo individualmente.

 

Os sintomas da neuropatia dependem do tipo e dos nervos envolvidos.

 

Diabetes e dores – sintomas

Os efeitos da neuropatia autonômica incluem:

  • azia e inchaço
  • náusea, prisão de ventre ou diarreia
  • inconsciência hipoglicêmica, na qual uma pessoa não sente os efeitos dos baixos níveis de açúcar
  • dificuldades para falar ou engolir
  • sentindo-se saciado depois de comer pequenas quantidades de comida
  • vômito várias horas após comer
  • sensação de tontura ou tontura ao levantar-se
  • uma frequência cardíaca mais rápida do que o normal
  • transpiração excessiva, mesmo em temperaturas baixas ou em repouso
  • problemas de bexiga, por exemplo, dificuldade de esvaziar completamente a bexiga ao urinar, levando à incontinência urinária
  • disfunção sexual em homens e mulheres
  • problemas de tato
  • queda significativa do rosto e pálpebras
  • contrações musculares e fraqueza

 

Diabetes e dores – outros tipos de neuropatias

A neuropatia proximal pode causar dor na parte inferior do corpo, geralmente de um lado, e fraqueza nas pernas.

 

Os sintomas de neuropatia focal podem variar amplamente, dependendo do nervo afetado. A neuropatia focal e a neuropatia craniana podem levar a distúrbios visuais, como visão dupla.

 

Pessoas com neuropatia diabética geralmente não percebem que a têm até que os sintomas estejam mais avançados.

 

Nem todos os sintomas da neuropatia periférica são visíveis, mas diabéticos devem verificar periodicamente quaisquer feridas nos pés.

 

Diabetes e dores – diagnóstico

O médico fará um exame nos pés e poderá verificar a pressão arterial.

Fará ainda um exame físico e um exame nos pés para verificar:

  • reflexos do tornozelo
  • perda de sensação
  • mudanças na textura da pele
  • mudanças na cor da pele

 

Exames que podem ser indicados:

  • um eletromiograma (EMG), que registra a atividade elétrica nos músculos
  • um teste de velocidade de condução nervosa (NCV) que registra a velocidade com que os sinais induzidos passam pelos nervos.

 

Tratamentos

A maioria dos tipos de neuropatia diabética piora com o tempo.

 

O primeiro passo para pessoas com qualquer tipo de neuropatia é controlar o açúcar no sangue, a pressão alta e os níveis de colesterol.

 

Certos medicamentos e tipos de fisioterapia podem ajudar a controlar a dor da neuropatia diabética, junto com outros tratamentos. No entanto, eles não podem reparar os nervos.

 

As pessoas também devem evitar ou parar de fumar e limitar a ingestão de álcool a, no máximo, uma bebida por dia para mulheres e duas para homens.

 

Medicamentos

Os medicamentos que podem ajudar a controlar a dor incluem:

  • drogas anticonvulsivantes
  • antidepressivos tricíclicos
  • opioides e medicamentos não opioides para o alívio da dor. O uso de opioides pode levar à dependência, portanto, os médicos devem prescrever a dose mais baixa possível.

 

Uma pessoa com neuropatia diabética pode usar outros tipos de antidepressivos, como inibidores da serotonina-norepinefrina.

 

Loções tópicas, cremes compostos e alguns suplementos, como ALA (Ácido Alfa Lipóico), ou Capsaicina, também podem fornecer alívio.

 

Diabetes e dores – fisioterapia

A fisioterapia, usada em combinação com medicamentos, pode ajudar a aliviar a dor e reduzir o risco de dependência de opioides.

 

Também pode ajudar a aliviar:

  • sensação de queimação e formigamento nas pernas e pés
  • cãibras musculares
  • fraqueza muscular
  • disfunção sexual

 

A estimulação elétrica do nervo é um tipo de fisioterapia indolor que pode ajudar a reduzir a sensação de rigidez e melhorar a cicatrização de úlceras nos pés.

 

Um bom fisioterapeuta garantirá que os exercícios para pessoas com neuropatia diabética não machuquem seus pés, que podem estar sem insensíveis.

 

Um quiroprático, massagista ou osteopata pode realizar massagens regulares ou terapia manual para alongar os músculos. A massagem pode inibir as contrações musculares, espasmos e atrofia devido ao suprimento insuficiente de sangue.

 

Exercícios específicos, como natação ou aeróbica, podem ajudar o indivíduo a desenvolver e manter a força muscular e reduzir a perda de massa muscular.

 

O ultrassom terapêutico é outro tipo de terapia que usa ondas sonoras de frequência muito alta para estimular o tecido sob a pele. Isso pode ajudar algumas pessoas a recuperar a sensibilidade nos pés.

 

Diabetes e dores – tratamentos naturais

As medidas não medicamentosas incluem:

  • usar tecidos que não causam sensações desconfortáveis ou dores, como o algodão
  • cobrir as áreas sensíveis com um curativo plástico ou filme plástico
  • usar compressas quentes ou frias, a menos que o problema seja agravado pela sensação de temperatura
  • outras terapias complementares como meditação, técnicas de relaxamento, massagem e acupuntura.
  • máquinas de estimulação elétrica nervosa transcutânea: estes dispositivos interrompem as mensagens nervosas ao fornecer uma pequena corrente elétrica, porém sua eficácia não foi confirmada por pesquisas, funcionando apenas para algumas pessoas.
banner 3 passos para controlar a diabetes
3 passos para controlar a diabetes

 

Diabetes e dores – complicações

Alguns tipos de neuropatia podem afetar a visão de uma pessoa.

 

A neuropatia diabética pode contribuir para uma série de complicações de alto risco, desde alterações da frequência cardíaca a distúrbios visuais.

 

Possíveis complicações incluem perda de sensibilidade nos pés.

 

Isso pode levar à incapacidade de sentir cortes ou feridas e, como resultado, pode ocorrer infecção. A infecção não tratada em um membro pode resultar na necessidade de amputação.

 

Também podem ocorrer infecções graves da bexiga e dos rins.

 

Um podólogo pode ajudar no tratamento dos pés e um profissional de saúde pode aconselhar sobre como parar de fumar.

 

Leve com você

A neuropatia diabética é um tipo de lesão nervosa que ocorre em pessoas com diabetes.

 

Existem quatro tipos: neuropatia autonômica, periférica, proximal e focal.

 

Cada um afeta um conjunto diferente de nervos e tem uma gama diferente de efeitos. A neuropatia autonômica prejudica os processos automáticos do corpo, como a digestão. A neuropatia periférica danifica os nervos dos pés, dedos das mãos, mãos e pés.

 

O diagnóstico inclui uma variedade de varreduras e testes para reflexos do tornozelo, sensação e textura e tom da pele.

 

O tratamento envolve vários tipos de fisioterapia e medicamentos para controlar a dor e a condução nervosa.

 

Como as pessoas com neuropatia diabética tendem a não sentir lesões nos pés, a inspeção regular dos pés é necessária para evitar infecções não detectadas e a possível perda de membros.

 

A melhor maneira de minimizar a neuropatia diabética é mantendo um bom controle de açúcar no sangue e cuidados regulares com os pés.

 

Se você toma metformina por muito tempo, que é um medicamento comumente utilizado no tratamento da diabetes tipo 2, considere verificar regularmente o nível de vitamina B12, pois a metformina pode diminuir o seu nível, o que pode causar neuropatia.

 

Recomendações

Para controle da diabetes através de uma alimentação saudável, dieta recomendada, receitas, livros gratuitos e outras publicações indicadas para diabéticos visite Produtos Recomendados neste site. Para saber mais, clique aqui.

Fontes:

banner 3 passos para controlar a diabetes
3 passos para controlar a diabetes

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *