DIETA PARA DIABÉTICOS: LOW CARB

prato low carb para dieta para diabéticos

Conceitos |  Dietas | Ingestão ideal | Quais carboidratos | Comer ou evitar | Exemplo  | Supervisão médica | Outras maneiras | Visão geral

Diabetes é uma doença crônica que atingiu proporções epidêmicas.

 

Atualmente afeta mais de 400 milhões de pessoas em todo o mundo.

 

Embora a diabetes seja uma doença complicada, manter um bom controle glicêmico pode reduzir muito o risco de complicações.

 

Uma das maneiras de alcançar melhores níveis de açúcar no sangue é seguir uma dieta baixa em carboidratos ou simplesmente dieta low carb. Caso necessite de ajuda na sua dieta para diabéticos, recomendamos o livro digital 500 Receitas Para Diabéticos. Para maiores informações, clique aqui.

 

Este artigo fornece uma visão geral detalhada das dietas de baixo carboidrato para o controle da diabetes.

 

O que é diabetes e que papel o alimento desempenha?

Se você tem diabetes, seu corpo não pode processar carboidratos de forma eficaz.

 

Normalmente, quando você come carboidratos, eles são divididos em pequenas unidades de glicose, que acabam como açúcar no sangue.

 

Quando os níveis de açúcar no sangue sobem, o pâncreas responde produzindo o hormônio insulina. Este hormônio permite que o açúcar no sangue entre nas células.

 

Em pessoas saudáveis, os níveis de açúcar no sangue permanecem dentro de uma faixa estreita ao longo do dia. Na diabetes, no entanto, este sistema não funciona como deveria.

 

Este é um grande problema, porque ter níveis de açúcar no sangue muito altos e baixos pode causar danos graves.

 

Existem vários tipos de diabetes, mas as mais comuns são diabetes tipo 1 e tipo 2. Ambas as condições podem ser diagnosticadas em qualquer idade.

 

Na diabetes tipo 1, um processo autoimune destrói as células beta produtoras de insulina no pâncreas. Os diabéticos devem injetar insulina várias vezes ao dia para garantir que a glicose entre nas células e permaneça em um nível saudável na corrente sanguínea.

 

Na diabetes tipo 2, as células beta produzem inicialmente insulina suficiente, mas as células do corpo são resistentes à sua ação, de modo que o nível de açúcar no sangue permanece alto. Para compensar, o pâncreas produz mais insulina, tentando baixar o nível de açúcar no sangue.

 

Com o tempo, as células beta perdem sua capacidade de produzir insulina suficiente.

 

Dos três nutrientes – proteína, carboidratos e gordura – os carboidratos têm o maior impacto no controle do açúcar no sangue. Isso ocorre porque o corpo as divide em glicose.

 

Portanto, diabéticos podem precisar tomar grandes doses de insulina e / ou medicação para diabetes quando comem muitos carboidratos.

 

Dietas para diabéticos, com poucos carboidratos, podem ajudar a controlar a diabetes?

Muitos estudos apoiam dietas de baixo carboidrato para o tratamento da diabetes.

 

De fato, antes da descoberta da insulina em 1921, dietas com muito pouco carboidrato eram consideradas tratamento padrão para pessoas com diabetes.

 

Além disso, dietas de baixo carboidrato parecem funcionar bem a longo prazo, desde que os pacientes adiram à dieta.

 

Em um estudo, diabéticos tipo 2 seguiram uma dieta baixa em carboidratos por 6 meses. Sua diabetes permaneceu bem controlada mais de 3 anos depois, de eles aderirem à dieta .

 

Da mesma forma, quando as pessoas com diabetes tipo 1 seguiam uma dieta com restrição de carboidratos, aqueles que seguiram a dieta tiveram uma melhora significativa nos níveis de açúcar no sangue ao longo de um período de 4 anos.

 

Caso necessite de ajuda na sua dieta para diabéticos, recomendamos o livro digital 500 Receitas para Diabéticos. Para maiores informações, clique aqui.

Banner para produtos indicados e livros digitais gratuitos
3 passos para controlar a diabetes

Qual é a ingestão ideal de carboidratos para diabéticos?

A ingestão ideal de carboidratos para diabéticos é um tema controverso, mesmo entre aqueles que apoiam a restrição de carboidratos.

 

Muitos estudos descobriram melhorias dramáticas nos níveis de açúcar no sangue, peso e outros marcadores quando os carboidratos estavam restritos a 20 gramas por dia.

 

O Dr. Richard K. Bernstein, que tem diabetes tipo 1, comeu 30 gramas de carboidratos por dia e documentou excelente controle de açúcar no sangue em seus pacientes que seguem o mesmo regime.

 

No entanto, outra pesquisa mostra que uma mais moderada restrição de carboidratos, como 70-90 gramas de carboidratos totais, ou 20% das calorias de carboidratos, também é eficaz.

 

A quantidade ideal de carboidratos também pode variar por indivíduo, já que todos têm uma resposta única aos carboidratos. Para descobrir a sua quantidade ideal, você pode medir sua glicose no sangue antes de uma refeição e novamente 1 a 2 horas depois de comer.

 

Enquanto o nível de açúcar no sangue permanecer abaixo de 140 mg / dL (8 mmol / L), o ponto no qual os nervos podem sofrer danos, você pode consumir 6 gramas, 10 gramas ou 25 gramas de carboidratos por refeição em uma dieta pobre em carboidratos .

 

Tudo depende da sua tolerância pessoal. Basta lembrar que a regra geral é que quanto menos carboidratos você ingere, menor será o aumento de açúcar no sangue.

 

E, em vez de eliminar todos os carboidratos, uma dieta saudável com  pouco carboidrato deve incluir fontes de carboidratos ricos em nutrientes e ricos em fibras, como vegetais, frutas vermelhas, nozes e sementes.

 

Caso necessite de ajuda na sua dieta para diabéticos, recomendamos o livro digital 500 Receitas para Diabéticos. Para maiores informações, clique aqui.

 

Quais carboidratos elevam os níveis de açúcar no sangue?

Carboidratos em alimentos vegetais são compostos de uma combinação de amido, açúcar e fibras. Apenas os componentes de amido e açúcar aumentam o açúcar no sangue.

 

Fibra que é encontrada naturalmente nos alimentos, seja solúvel ou insolúvel, não se decompõe em glicose no corpo e não eleva os níveis de açúcar no sangue.

 

Você pode realmente subtrair a fibra do conteúdo total de carboidratos, deixando-o com o conteúdo de carboidratos digestível ou “líquido”. Por exemplo, uma xícara de couve-flor contém 5 gramas de carboidratos, dos quais 3 são de fibra. Portanto, seu conteúdo líquido de carboidratos é de 2 gramas.

 

Fibras pré-bióticas, como a inulina, também demonstraram melhorar o açúcar no sangue em jejum e outros marcadores de saúde em diabéticos tipo 2.

 

Álcoois de açúcar como o maltitol, xilitol, eritritol e sorbitol são frequentemente usados ​​para adoçar alimentos sem açúcar e outros produtos dietéticos.

 

Alguns deles, especialmente o maltitol, podem elevar os níveis de açúcar no sangue em pessoas com diabetes.

 

Por esse motivo, a contagem líquida de carboidratos listada no rótulo de um produto pode não ser precisa se todos os carboidratos contribuídos pelo maltitol forem subtraídos do total.

 

Este manual de contagem de carboidratos pode ser um recurso valioso. Ele fornece dados para centenas de alimentos em carboidratos totais, carboidratos líquidos, fibras, proteínas e gorduras.

 

Alimentos para Comer e Alimentos para Evitar

É melhor se concentrar em ingerir alimentos integrais de baixo carboidrato e alta qualidade.

 

Também é importante prestar atenção às dicas de fome e plenitude do seu corpo, independentemente do que você está comendo.

 

Alimentos para comer

Você pode comer os seguintes alimentos com baixo teor de carboidratos até ficar satisfeito, e deve certificar-se de obter proteína suficiente em cada refeição.

 

  • Carne, aves e frutos do mar.
  • Ovos.
  • Queijo.
  • Vegetais sem amido (a maioria dos vegetais, exceto os listados na lista a ser evitada).
  • Abacates.
  • Azeitonas.
  • Azeite de oliva, óleo de coco, manteiga, creme de leite, creme azedo e cream cheese.

 

Alimentos para comer com moderação

Os seguintes alimentos podem ser ingeridos em quantidades menores nas refeições, dependendo da sua tolerância pessoal aos carboidratos.

 

  • Bagas: 1 xícara ou menos.
  • Iogurte grego simples: 1 xícara ou menos.
  • Requeijão: 1/2 xícara ou menos.
  • Nozes e amendoins: 30 a 60 gramas.
  • Semente de linhaça ou sementes de chia: 2 colheres de sopa.
  • Chocolate preto (pelo menos 85% de cacau): 30 gramas ou menos.
  • Abóbora: 1 xícara ou menos.
  • Licor: 50 gramas.
  • Vinho tinto ou branco seco: 120 gramas.

A redução dos carboidratos geralmente reduz os níveis de insulina, o que faz com que os rins liberem sódio e água .

 

Tente comer caldo, azeitonas ou alguns outros alimentos salgados com baixo teor de carboidratos para compensar o sódio perdido. Não tenha medo de adicionar um pouco de sal às suas refeições.

 

No entanto, se você tem insuficiência cardíaca congestiva, doença renal ou pressão alta, converse com seu médico antes de aumentar a quantidade de sódio em sua dieta.

 

Alimentos a serem evitados

Estes alimentos são ricos em carboidratos e podem aumentar significativamente os níveis de açúcar no sangue em diabéticos:

 

  • Pão, macarrão, cereais, milho e outros grãos.
  • Vegetais ricos em amido, como batata, batata doce, inhame e taro.
  • Legumes, como lentilhas e feijões (exceto feijão verde e ervilhas).
  • Leite.
  • Frutas que não sejam bagas.
  • Sucos, refrigerantes, chás adoçados, etc.
  • Cerveja.
  • Sobremesas, assados, doces, sorvetes, etc.
prato low carb é uma boa opção para a dieta para diabéticos
Refeição low carb é uma excelente opção para a dieta de diabéticos

Um dia de exemplo de refeições com baixo teor de carboidratos para diabéticos

Aqui está um menu de amostra com 15 gramas ou menos de carboidratos digestíveis por refeição. Se a sua tolerância pessoal ao carboidrato for maior ou menor, você pode ajustar os tamanhos das porções.

 

Café da manhã: ovos e espinafre

3 ovos cozidos em manteiga (1,5 gramas de carboidratos).

1 xícara de espinafre salteado (3 gramas de carboidratos).

1 xícara de amoras (6 gramas de carboidratos).

1 xícara de café com creme e adoçante sem açúcar opcional.

Carboidratos digestíveis totais: 10,5 gramas.

 

Almoço: Salada Cobb

90 g de frango cozido.

30 g de queijo Roquefort (1/2 grama de carboidratos).

1 fatia de bacon.

1/2 abacate médio (2 gramas de carboidratos).

1 xícara de tomate picado (5 gramas de carboidratos).

1 xícara de alface picada (1 grama de carboidratos).

Azeite e vinagre.

20 gramas (2 pequenos quadrados) 85% de chocolate amargo (4 gramas de carboidratos).

1 copo de chá gelado com adoçante sem açúcar, opcional.

Carboidratos digestíveis totais: 12,5 gramas.

 

Jantar: Salmão com Legumes

90 g salmão grelhado.

1/2 xícara de abobrinha refogada (3 gramas de carboidratos).

1 xícara de cogumelos salteados (2 gramas de carboidratos).

1/2 xícara de morangos fatiados com chantilly.

30 g de nozes picadas (6 gramas de carboidratos).

120 g vinho tinto (3 gramas de carboidratos).

Carboidratos digestíveis totais: 14 gramas.

 

Carboidratos digestíveis totais para o dia: 37 gramas.

Banner para produtos indicados e livros digitais gratuitos
3 passos para controlar a diabetes

Converse com seu médico antes de adotar sua dieta para diabéticos

Quando carboidratos são restritos, muitas vezes há uma redução dramática no açúcar no sangue.

 

Por esse motivo, a insulina e outras dosagens de medicamentos geralmente precisam ser reduzidas. Em alguns casos, eles podem precisar ser eliminados por completo.

 

Um estudo relatou que 17 dos 21 indivíduos com diabetes tipo 2 foram capazes de parar ou reduzir a medicação para diabetes quando os carboidratos foram limitados a 20 gramas por dia.

 

Em outro estudo, os diabéticos tipo 1 consumiram menos de 90 gramas de carboidratos por dia. O controle da glicose no sangue melhorou, e houve menos incidências de baixo nível de açúcar no sangue porque as dosagens de insulina foram significativamente reduzidas.

 

Se a insulina e outros medicamentos não forem ajustados para uma dieta baixa em carboidratos, há um alto risco de níveis de glicose no sangue perigosamente baixos, também conhecidos como hipoglicemia.

 

Portanto, é importante que as pessoas que tomam medicamentos para insulina ou diabetes falem com seu médico antes de iniciar uma dieta com pouco carboidrato.

 

Outras maneiras de reduzir os níveis de açúcar no sangue

Além de seguir uma dieta baixa em carboidratos, a atividade física também pode ajudar a controlar a diabetes melhorando a sensibilidade à insulina.

 

Uma combinação de treinamento de resistência e exercícios aeróbicos é especialmente benéfica.

 

O sono de qualidade também é crucial. Pesquisas mostraram consistentemente que pessoas que dormem mal têm um risco aumentado de desenvolver diabetes.

 

Um estudo observacional recente descobriu que os diabéticos que dormiam entre 6,5 e 7,5 horas por noite tinham melhor controle da glicemia, em comparação com aqueles que dormiam por menos ou mais tempo.

 

Outra chave para o bom controle do açúcar no sangue é o controle do estresse. Yoga e meditação têm mostrado reduzir os níveis de açúcar no sangue e insulina.

 

Dietas para diabéticos, com baixo teor de carboidratos, são eficazes

Estudos mostram que dietas de baixo carboidrato podem efetivamente gerenciar diabetes tipo 1 e tipo 2.

 

Dietas com pouco carboidrato podem melhorar o controle do açúcar no sangue, diminuir as necessidades de medicação e reduzir o risco de complicações diabéticas.

 

Apenas lembre-se de conversar com seu médico antes de fazer qualquer mudança na dieta, pois suas dosagens de medicamentos podem precisar ser ajustadas.

 

Para adotar uma alimentação saudável e adequada, formulada por uma nutricionista especializada, recomendamos o livro digital Como Fazer a Dieta Low Carb, que traz um passo a passo, de forma prática e objetiva, os ensinamentos para adoção de uma dieta baixa em carboidratos. A dieta low carb foi aprovada pela Associação Americana de Diabetes como eficaz para o tratamento de diabéticos. Para saber mais, clique aqui.

 

Caso necessite de mais ajuda na sua dieta para diabéticos, recomendamos o livro digital 500 Receitas Para Diabéticos. Para maiores informações, clique aqui.

Banner para produtos indicados e livros digitais gratuitos
3 passos para controlar a diabetes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *