DIABETES E HIPERTENSÃO E COLESTEROL: PREVENÇÃO E TRATAMENTO!

diabetes, hipertensão e colesterol

Diabetes e hipertensão e colesterol | Quando é  pressão alta? | Fatores de risco da hipertensão | Prevenção da hipertensão | Tratamento da hipertensão | Guia do colesterol e diabetes | Diabetes e colesterol| Colesterol alto: prevenção | Recomendações | Fontes

Ter diabetes aumenta o risco de desenvolver hipertensão e colesterol alto. Ao observar seus números de açúcar no sangue, observe também seus indicadores de colesterol e sua pressão.

 

Neste artigo, construído em duas partes, abordaremos inicialmente a hipertensão e, em segundo lugar, o colesterol. Em caso de dúvidas acione o nosso atendimento online e buscaremos responder com a maior brevidade.

 

Diabetes e hipertensão e colesterol: hipertensão

A hipertensão arterial, ou somente hipertensão, é uma condição comumente observada em pessoas com diabetes tipo 2.

 

Aqui, explicamos por que essas duas condições geralmente aparecem juntas e como você pode administrá-las com abordagens práticas de estilo de vida.

 

É desconhecido porque existe uma relação tão significativa entre as duas doenças. Acredita-se que o seguinte contribua para ambas as condições:

  • obesidade
  • uma dieta rica em gordura e sódio
  • inflamação crônica
  • inatividade

 

A hipertensão arterial é conhecida como um “assassino silencioso” porque muitas vezes não tem sintomas óbvios e muitas pessoas não sabem que a têm. Uma pesquisa de 2013 da Associação Americana de Diabetes (ADA) descobriu que menos da metade das pessoas em risco de doença cardíaca ou diabetes tipo 2 relataram discutir biomarcadores, incluindo a pressão arterial, com seus médicos.

 

Diabetes e hipertensão e colesterol: quando é pressão alta?

Se você tem pressão alta, isso significa que seu sangue está bombeando seu coração e vasos sanguíneos com muita força. Com o passar do tempo, a pressão arterial alta constantemente cansa o músculo cardíaco e pode aumentá-lo. Estima-se que 67 por cento dos adultos com 20 anos ou mais e com diabetes tenham taxas de pressão arterial superiores a 130/80 milímetros de mercúrio (mm Hg).

 

Na população geral e nas pessoas com diabetes, uma leitura da pressão arterial inferior a 130/80 mm Hg é considerada normal.

 

O que isto significa? O primeiro número (130) é chamado de pressão sistólica. Indica a pressão mais alta exercida quando o sangue passa pelo seu coração. O segundo número (80) é chamado de pressão diastólica. Esta é a pressão mantida pelas artérias quando os vasos estão relaxados entre os batimentos cardíacos.

 

De acordo com a Associação Americana do Coração (AHA), pessoas saudáveis ​​com mais de 20 anos, com uma pressão arterial menor que 130/80, devem ter sua pressão arterial checada a cada dois anos. Pessoas com diabetes precisam ser mais vigilantes.

 

Se você tem diabetes, seu médico pode verificar sua pressão arterial pelo menos quatro vezes por ano. Se você tem diabetes e pressão alta, a ADA recomenda que você faça o auto monitoramento em casa, registre as leituras e as compartilhe com seu médico.

 

Fatores de risco para hipertensão arterial com diabetes

De acordo com a ADA, a combinação de pressão alta e diabetes tipo 2 é particularmente letal e pode aumentar significativamente o risco de ter um ataque cardíaco ou derrame. Ter diabetes tipo 2 e pressão alta também aumenta suas chances de desenvolver outras doenças relacionadas à diabetes, como doença renal e retinopatia. A retinopatia diabética pode causar cegueira.

 

Há também evidências significativas para mostrar que a hipertensão crônica pode acelerar a chegada de problemas, como a capacidade de pensar, e que estão associados ao envelhecimento, como a doença de Alzheimer e a demência. De acordo com a AHA, os vasos sanguíneos no cérebro são particularmente suscetíveis a danos devido à pressão alta. Isso faz com que seja um importante fator de risco para acidente vascular cerebral e demência.

 

Diabetes descontrolada não é o único fator de saúde que aumenta o risco de pressão alta. Lembre-se de que suas chances de ter um ataque cardíaco ou derrame aumentam exponencialmente se você tiver mais de um dos seguintes fatores de risco:

  • história familiar de doença cardíaca
  • dieta rica em gorduras e alto teor de sódio
  • estilo de vida sedentário
  • colesterol alto
  • idade avançada
  • obesidade
  • hábito de fumar
  • álcool demais
  • doenças crônicas, como doença renal, diabetes ou apneia do sono

 

Diabetes e hipertensão e colesterol: gravidez

Um estudo mostrou que as mulheres que têm diabetes gestacional são mais propensas a ter pressão alta. No entanto, as mulheres que gerenciam seus níveis de açúcar no sangue durante a gravidez são menos propensas a apresentar pressão alta.

 

Se você desenvolver pressão alta durante a gravidez, seu médico irá monitorar seus níveis de proteína na urina. Níveis elevados de proteína na urina podem ser um sinal de pré-eclâmpsia. Este é um tipo de pressão alta que ocorre durante a gravidez. Outros marcadores no sangue também podem levar a um diagnóstico. Esses marcadores incluem:

  • enzimas hepáticas anormais
  • função renal anormal
  • baixa contagem de plaquetas

 

Diabetes e hipertensão e colesterol: Prevenção da pressão alta com diabetes

Existem muitas mudanças no estilo de vida que podem diminuir sua pressão arterial. Quase todos são dietéticos, mas o exercício diário também é recomendado. A maioria dos médicos aconselha caminhar rapidamente por 30 a 40 minutos todos os dias, mas qualquer atividade aeróbica pode tornar seu coração mais saudável.

 

A AHA recomenda um mínimo de:

  • 150 minutos por semana de exercício de intensidade moderada
  • 75 minutos por semana de exercício vigoroso
  • uma combinação de atividade moderada e vigorosa a cada semana

 

Além de reduzir a pressão arterial, a atividade física pode fortalecer o músculo cardíaco. Pode também reduzir a rigidez arterial. Isso acontece à medida que as pessoas envelhecem, mas é frequentemente acelerada pela diabetes tipo 2. Exercícios também podem ajudá-lo a obter um melhor controle de seus níveis de açúcar no sangue.

 

Converse com seu médico para verificar o tipo de exercício físico que você pode fazer. Isto é especialmente importante se você:

  • nunca se exercitou antes
  • está pensando em um exercício mais extenuante
  • está tendo problemas para atingir suas metas

 

Comece com cinco minutos de caminhada rápida por dia e aumente com o tempo. Pegue as escadas em vez do elevador..

 

Você pode estar familiarizado com a necessidade de melhores hábitos alimentares, como limitar o açúcar em sua dieta. Mas a alimentação saudável para o coração também significa limitar:

  • sal
  • carnes com alto teor de gordura
  • laticínios integrais

 

Segundo a ADA, existem muitas opções de planos alimentares para pessoas com diabetes. Escolhas saudáveis ​​que podem ser mantidas ao longo da vida são as mais bem sucedidas. A dieta low-carb  é um plano de dieta especificamente projetado para ajudar a baixar a pressão arterial. Experimente estas dicas para melhorar a sua dieta padrão:

  • Consuma várias porções de vegetais ao longo do dia.
  • Mude para produtos lácteos com baixo teor de gordura.
  • Limite os alimentos processados. Certifique-se de que eles contêm menos de 140 miligramas (mg) de sódio por porção.
  • Limite o de sal de mesa.
  • Escolha carnes magras, peixe ou substitutos de carne.
  • Cozinhe usando métodos de baixo teor de gordura, como grelhar e assar.
  • Evite alimentos fritos.
  • Coma frutas frescas.
  • Coma alimentos integrais e não processados.
  • Mude para arroz integral e massas e pães integrais.
  • Coma pequenas refeições.
  • Diminua o tamanho de seu prato.
banner para 3 passos para controlar a diabetes
3 passos para controlar a diabetes

Diabetes e hipertensão e colesterol: tratamento da hipertensão arterial com diabetes

Enquanto algumas pessoas podem melhorar sua diabetes tipo 2 e pressão alta com mudanças de estilo de vida, boa parte delas requer medicação. Dependendo da saúde geral, algumas pessoas podem precisar de mais de um medicamento para ajudar a controlar a pressão sanguínea. A maioria dos medicamentos para pressão alta se enquadra em uma dessas categorias:

  • inibidores da enzima conversora da angiotensina (ECA)
  • bloqueadores dos receptores da angiotensina II (BRA)
  • bloqueadores beta
  • bloqueadores dos canais de cálcio
  • diuréticos

 

Alguns medicamentos produzem efeitos colaterais, portanto, acompanhe como você se sente. Não deixe de discutir outros medicamentos que você está tomando com seu médico.

 

Diabetes e hipertensão e colesterol: guia para viver com diabetes e colesterol alto

Se você foi diagnosticado com diabetes, sabe que é importante controlar seus níveis de açúcar no sangue. Quanto mais você conseguir manter esses níveis baixos, menor será o risco de desenvolver doenças cardiovasculares e outros problemas de saúde.

 

Ter diabetes aumenta o risco de desenvolver colesterol alto. Ao observar seus números de açúcar no sangue, observe também seus números de colesterol.

 

Aqui, explicamos por que essas duas condições geralmente aparecem juntas e como você pode administrá-las com abordagens práticas de estilo de vida.

 

Diabetes e hipertensão e colesterol: diabetes e colesterol alto geralmente ocorrem juntos

Se você tem diabetes e colesterol alto, você não está sozinho. A Associação Americana do Coração (AHA) afirma que a diabetes frequentemente reduz os níveis de colesterol HDL (“bom”) e aumenta os níveis de triglicerídeos e LDL (“ruim”). Ambos aumentam o risco de doença cardíaca e derrame.

 

Cerca de 65% dos adultos com diabetes tinham níveis de colesterol LDL acima do ideal ou usavam medicamentos para baixar o colesterol.

 

Como lembrete:

  • Um nível de colesterol LDL abaixo de 100 miligramas / decilitro (mg / dL) é considerado ideal.
  • 100 a 129 mg / dL está próximo do ideal.
  • 130-159 mg / dL está elevado.

 

Níveis elevados de colesterol podem ser perigosos. O colesterol é um tipo de gordura que pode se acumular dentro das artérias. Com o tempo, pode endurecer para formar uma placa rígida. Isso danifica as artérias, tornando-as rígidas e estreitas e inibindo o fluxo sanguíneo. O coração tem que trabalhar mais para bombear o sangue, e o risco de ataque cardíaco e derrame aumenta.

 

Porque diabetes aumenta risco de colesterol alto

Os cientistas ainda não sabem exatamente como a diabetes afeta o colesterol, mas eles estão trabalhando nisso. Algumas pesquisas apontaram para uma conexão entre insulina e colesterol. Pesquisadores relataram que um gene chamado TCF1 regula a produção de insulina e colesterol. Quando esse gene não funciona corretamente, as pessoas correm mais risco de diabetes e colesterol alto.

 

Pesquisa sobre medicamentos da classe estatina nos deu mais evidências de uma ligação entre a insulina e o colesterol. As estatinas são muito eficazes em manter os níveis de colesterol sob controle e em reduzir o risco de doenças cardíacas. Mas, a Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA avisou que as estatinas poderiam aumentar o risco de diabetes. Por que isso seria?

 

Os cientistas descobriram que era por causa dessa conexão entre colesterol e insulina. Eles relataram que as estatinas ativam uma resposta imunológica que pode impedir a insulina de fazer o seu trabalho. Isso, por sua vez, aumentou o risco de diabetes.

 

Pesquisadores descobriram uma conexão entre diabetes e colesterol. Em seu estudo publicado no Diabetes Care, eles relataram que a diabetes parecia aumentar a produção de colesterol no organismo ou reduzir sua absorção, de modo que mais dele permanece no sangue.

 

Os pesquisadores ainda não têm todas as respostas e continuam a lidar com a questão. Em um estudo, eles descobriram que o açúcar no sangue, a insulina e o colesterol interagem entre si no corpo e são afetados um pelo outro. Eles simplesmente não sabem exatamente como.

 

Enquanto isso, o importante é que você esteja ciente da combinação entre os dois. Mesmo se você mantiver seus níveis de açúcar no sangue sob controle, seus níveis de colesterol LDL ainda podem subir. No entanto, você pode controlar essas duas condições com medicamentos e bons hábitos de vida.

 

Diabetes e hipertensão e colesterol: 7 hábitos de vida

Gerenciar uma condição médica pode ser um desafio. Se você tem que gerenciar diabetes e colesterol alto, isso pode parecer confuso. Uma dieta para diabetes também funciona para colesterol alto? E quanto ao exercício? Você precisa fazer mais se tiver as duas condições?

 

O principal objetivo é reduzir o risco de doença cardíaca e derrame. Se você seguir estas sete dicas, estará dando ao seu corpo o que ele precisa para se manter saudável e ativo.

 

1. Acompanhe seus números

Você já sabe que é importante observar seus níveis de açúcar no sangue. É hora de acompanhar seus números de colesterol também. Como mencionado anteriormente, um nível de colesterol LDL de 100 ou menos é ideal. Siga as instruções do seu médico para manter seus níveis de açúcar no sangue sob controle.

 

Certifique-se de verificar seus outros números durante suas visitas anuais ao médico. Estes incluem seus triglicerídeos e níveis de pressão arterial. Uma pressão sanguínea saudável é de 130/80 mmHg. Triglicérides totais devem ser inferiores a 200 mg / dL.

 

2. Siga os conselhos de saúde

Existem algumas escolhas de estilo de vida bem conhecidas que reduzem claramente o risco de doença cardiovascular. Você provavelmente conhece tudo isso, mas certifique-se de estar fazendo tudo que puder para segui-los:

  • Não fume ou pare de fumar.
  • Tome todos os seus medicamentos conforme indicado.
  • Mantenha um peso saudável ou perca peso se precisar.

 

3. Depois de uma refeição, dê um passeio

Como alguém com diabetes, você já sabe que o exercício é fundamental para manter seus níveis de açúcar no sangue sob controle. O exercício também é fundamental para gerenciar o colesterol alto. Pode ajudar a aumentar os níveis de colesterol HDL, que protegem contra doenças cardíacas. Em alguns casos, também pode reduzir os níveis de colesterol LDL.

 

Provavelmente, o exercício mais eficaz que você pode fazer para ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue é dar um passeio depois de comer uma refeição. Um estudo da Nova Zelândia publicado na Diabetologia relatou que a melhora nos níveis de açúcar no sangue foi “particularmente impressionante” quando os participantes caminharam após a refeição da noite. Esses participantes experimentaram uma redução maior de açúcar no sangue do que aqueles que apenas caminharam quando quiseram.

 

Andar a pé também é bom para colesterol alto. Em um estudo de 2013, os pesquisadores relataram que a caminhada reduziu o colesterol em pelo menos 7%.

banner para 3 passos para controlar a diabetes
3 passos para controlar a diabetes

4. Respire um pouco mais cinco vezes por semana

Além de caminhar após as refeições, também é importante fazer alguns exercícios aeróbicos por cerca de 30 minutos diários, cinco vezes por semana.

 

Em uma revisão de estudo, os pesquisadores descobriram que a atividade aeróbica de intensidade moderada pode ser tão eficaz quanto os tipos de alta intensidade quando se trata de otimizar os níveis de colesterol. Tente incorporar algumas vigorosas caminhadas, ciclismo, natação ou corrida em sua rotina. Suba as escadas, ande de bicicleta para o trabalho ou junte-se a um amigo para praticar um esporte.

 

O exercício aeróbico também é benéfico para pessoas com diabetes. Um estudo relatou que ajudou a reduzir os níveis de HbA1c em participantes com diabetes tipo 2. Outro estudo publicado no Diabetes Care descobriu que o treinamento físico ajudou a reduzir a circunferência da cintura e os níveis de HbA1c.

 

5. Levante algum peso

À medida que envelhecemos, naturalmente perdemos o tônus ​​muscular. Isso não é bom para nossa saúde geral ou para nossa saúde cardiovascular. Você pode resistir a essa mudança adicionando algum treinamento de peso à sua programação semanal.

 

Pesquisadores do estudo mencionado anteriormente relataram que o treinamento de resistência, ou treinamento com pesos, era uma maneira eficaz de controlar o colesterol. Em um estudo, os pesquisadores descobriram que as pessoas que tinham um programa regular de levantamento de peso tinham HDL mais eficiente do que aquelas que não tinham.

 

O treinamento com pesos é benéfico para pessoas com diabetes também. Os pesquisadores descobriram que o treinamento de resistência ajudou os participantes a desenvolverem mais músculos. Também melhorou a saúde metabólica geral e reduziu os fatores de risco metabólicos para aqueles com diabetes.

 

Para a saúde geral, é melhor combinar o treinamento de resistência com seu exercício aeróbico. Pesquisadores relataram que as pessoas que combinaram ambos os tipos de exercícios melhoraram seus níveis de açúcar no sangue. Aqueles que fizeram apenas um ou o outro, tiveram piores resultados.

 

6. Planeje refeições saudáveis

Você provavelmente já fez alterações em sua dieta para ajudar a manter baixos os níveis de açúcar no sangue. Você está controlando a quantidade de carboidratos que você come em cada refeição, escolhendo alimentos com baixo índice glicêmico e faz pequenas refeições com mais regularidade.

 

Se você tem colesterol alto também, esta dieta também funcionará para você, com apenas algumas pequenas modificações. Continue a limitar as gorduras insalubres, como as de carne vermelha e laticínios integrais, e escolha mais gorduras benéficas para o coração, como as encontradas em carnes magras, nozes, peixe, azeite, abacate e sementes de linhaça.

 

Em seguida, basta adicionar mais fibras à sua dieta. A fibra solúvel é mais importante, pois ajuda a diminuir o colesterol LDL.

 

Exemplos de alimentos que contêm fibras solúveis incluem aveia, farelo, frutas, feijões, lentilhas e vegetais.

 

7. Cuidados com o restante da sua saúde

Mesmo se você for cuidadoso ao controlar tanto o nível de açúcar no sangue quanto o colesterol no sangue, a diabetes pode afetar outras partes do corpo com o tempo. Isso significa que é importante manter-se informado sobre todas as facetas da sua saúde.

 

Seus olhos: Tanto o colesterol alto quanto a diabetes podem afetar sua saúde ocular, por isso, não deixe de consultar seu oftalmologista todos os anos para fazer um check-up.

 

Seus pés: Diabetes pode afetar os nervos dos pés, tornando-os menos sensíveis. Verifique regularmente os seus pés em busca de bolhas, feridas ou inchaço e certifique-se de que quaisquer feridas se curem como deveriam. Se não, verifique com seu médico.

 

Seus dentes: Há algumas evidências de que a diabetes pode aumentar o risco de infecções nas gengivas. Consulte seu dentista regularmente e pratique cuidados orais cuidadosos.

 

Seu sistema imunológico: À medida que envelhecemos, nosso sistema imunológico enfraquece gradualmente. Outras condições, como diabetes, podem enfraquecê-lo ainda mais. Por isso, é importante receber as vacinas indicadas. Tome sua vacina contra a gripe todos os anos. É recomendado que você receba também a vacina contra hepatite B, após ser  diagnosticado com diabetes, pois as pessoas com diabetes têm taxas mais altas de hepatite B.

 

Recomendações

Para controle da diabetes através de uma alimentação saudável, dieta recomendada, receitas, livros gratuitos e outras publicações indicadas para diabéticos visite Produtos Recomendados neste site. Para saber mais, clique aqui.

 

Fontes:

banner para 3 passos para controlar a diabetes
3 passos para controlar a diabetes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *