DIABETES E MILHO: COMO ELE ALTERA A SUA GLICOSE!

diabetes e milho

Nesta edição: Diabetes e milho | Carboidratos | Índice glicêmico | Dieta | Benefícios | Xarope de milho | Farinha de milho | Visão geralRecomendações | Fontes

Você pode comer milho se tiver diabetes?

Sim, você pode comer milho se tiver diabetes. O milho é uma fonte de energia, vitaminas, minerais e fibras. Também é baixo em sódio e gordura.

 

Dito isto, siga o conselho da Associação Americana de Diabetes. Defina um limite diário para a quantidade de carboidratos que você planeja comer e acompanhe os carboidratos que você consome.

 

Ou seja, se for consumir milho, observe a carga de carboidratos presentes na sua porção. Se não souber ou não efetuar a contagem de carboidratos, consuma com moderação e  meça a sua glicose duas horas após, verificando os efeitos da porção consumida sobre seu organismo, pois, apesar de este ser um direcionamento para a maioria das pessoas, você pode ter reações específicas e diferenciadas em relação a alguns alimentos. 

 

Diabetes e milho

Uma espiga média de milho amarelo cozido fornece:

 

  • calorias: 77
  • carboidratos: 17,1 gramas
  • fibra dietética: 2.4 gramas
  • açúcares: 2,9 gramas
  • fibra: 2,5 gramas
  • proteína: 2,9 gramas
  • gordura: 1,1 gramas

 

Milho também fornece:

  • vitamina A
  • vitamina B
  • vitamina C
  • potássio
  • magnésio
  • ferro
  • zinco

 

Diabetes e milho: Índice glicêmico

Como os alimentos afetam a glicemia (açúcar no sangue) é indicado pelo índice glicêmico (IG). Alimentos com um IG de 56 a 69 são alimentos glicêmicos médios. Alimentos com baixo índice glicêmico têm um valor menor que 55. Alimentos com alto índice glicêmico (70 e acima) podem aumentar o nível de açúcar no sangue rapidamente.

 

O índice glicêmico do milho é 52. Outros IG relacionados incluem:

 

  • tortilla de milho: 46
  • flocos de milho: 81
  • pipoca: 65

Se você tem diabetes, seu foco será em alimentos com IG baixo. Se você não consegue produzir quantidades suficientes de insulina (um hormônio que ajuda a processar o açúcar no sangue), é provável que você tenha excesso de glicose no sangue.

 

Alimentos de alto índice glicêmico aumentam a glicose rapidamente. Alimentos com baixo índice glicêmico tendem a liberar glicose de forma lenta e constante, o que é útil para manter a glicemia sob controle.

 

O IG é baseado em uma escala de 0 a 100, com 100 sendo glicose pura.

 

O tamanho da porção e os carboidratos digestíveis estão incluídos na carga glicêmica (GL), juntamente com o índice glicêmico.

 

 

Diabetes e milho: Dieta com baixo teor de carboidratos e alta gordura ou dieta rica em carboidratos e com baixo teor de gordura

Um estudo de 52 semanas com pacientes com diabetes tipo 2 comparando os efeitos de uma dieta low carb, de alto teor de gordura versus uma dieta rica em carboidratos, baixo teor de gordura. Embora ambas as dietas tenham melhorado os níveis médios de açúcar no sangue, o peso e a glicose em jejum, a dieta com baixo teor de carboidratos teve um desempenho muito melhor para o controle global da glicose.

Há benefícios em comer milho?

De acordo com um estudo recente, o alto consumo de flavonóides, como os encontrados no milho (seu maior grupo de compostos fenólicos), reduz o risco de doenças crônicas, incluindo diabetes. O estudo também indicou:

 

Uma ingestão moderada de amido resistente (cerca de 10 gramas por dia) de milho pode reduzir a resposta da glicose e da insulina.

 

O consumo regular de cereais integrais melhora a saúde digestiva e pode diminuir o risco de desenvolver doenças crônicas, como diabetes tipo 2 e obesidade.

 

O estudo sugeriu que mais estudos são necessários sobre os compostos bioativos do milho relacionados à saúde.

 

Xarope de milho rico em frutose

O xarope de milho rico em frutose é um adoçante feito de milho. É comumente encontrado em alimentos processados. Embora o xarope de milho rico em frutose não aumente os níveis de açúcar no sangue tanto quanto o açúcar comum, ele não estimula a liberação de insulina, fazendo com que as pessoas com diabetes necessitem de insulina para regular o açúcar no sangue.

 

O xarope de milho rico em frutose também pode levar à resistência à leptina. De acordo com o Jornal da Endocrinologia, o hormônio leptina desencadeia a saciedade, fazendo com que seu cérebro saiba que o corpo não precisa comer  e queimar calorias a uma taxa normal.

 

Muitos refrigerantes têm 60-100% do seu teor de açúcar proveniente do xarope de milho rico em frutose, que é incrivelmente rico em carboidratos.

 

Vinte e cinco gramas de xarope de milho rico em frutose contêm 19 g de carboidratos na forma de açúcar direto, para que você possa ver como refrigerantes e bebidas doces podem transportar facilmente até 50 g de carboidratos em uma única porção.

 

Diabetes e milho: farinha de milho

A farinha de milho é o germe do milho com farelo e endosperma. Isso significa que os nutrientes permanecem. A farinha de milho também é carregada em fibras.

 

Farinha de milho é frequentemente usada em panificação, e também é muito rica em carboidratos. Quando você compara os 44,9 g de carboidratos em meia xícara de farinha de milho com os 12 g de carboidratos em meia xícara de farinha de amêndoa com pouco carboidrato, não há concorrência.

 

Com 44 carboidratos totais, 36 carboidratos líquidos e 70 como IG de porte médio, a farinha de milho é melhor que as farinhas brancas refinadas, mas há diversas outras opções mais saudáveis.

 

A farinha de mandioca ou a tapioca são melhores, sob o ponto de vista glicêmico, do que a farinha de milho.

 

Se a maioria de suas receitas exige farinha de trigo comum, farinha refinada que pode elevar os níveis de açúcar no sangue mais rapidamente do que os grãos integrais, você pode usar farinha de trigo integral como alternativa. Embora essa opção certamente aumente o teor de fibras e grãos integrais de sua receita, o sabor e a textura nem sempre permanecem exatamente iguais. A farinha de trigo integral (100%) pode ter uma textura mais densa e mais consistente do que a farinha de trigo. Como substituto nos pães, muitas vezes pode funcionar bem, mas em produtos de panificação, como biscoitos e muffins, o produto final pode não ter o sabor mais próximo do original, como você esperava.

 

Diabetes e milho: visão geral

Comer milho tem alguns benefícios, mas é importante entender como o alto nível de carboidratos pode aumentar a glicose no sangue e causar impacto no modo como você gerencia sua diabetes.

 

Embora nem todos os portadores de diabetes reajam da mesma maneira a determinados alimentos, seguir orientações nutricionais e acompanhar o que você come podem ajudar.

 

Recomendações

Para controle da diabetes através de uma alimentação saudável, dieta recomendada, receitas, livros gratuitos e outras publicações indicadas para diabéticos visite Produtos Recomendados em https://controledadiabetes.com.br/produtos-indicados. Para saber mais, clique aqui.

Fontes:

[su_accordion class=””] [su_spoiler title=”Clique aqui para visualizar as fontes” open=”no” style=”default” icon=”plus-circle” anchor=”” class=””]

[/su_spoiler] [/su_accordion]

10 thoughts on “DIABETES E MILHO: COMO ELE ALTERA A SUA GLICOSE!

    1. Olá,

      Em atenção à sua duvida, seguem nosso comentários.

      1. Hipertensão e diabetes não raramente andam juntas e uma influi no agravamento da outra, se não controladas.

      2. Pré-diabetes é um passo prévio para a diabetes, mas que, muitas vezes, PODE ser revertido com alimentação, exercícios e pouca ou nenhuma medicação.

      3. Quanto aos alimentos em geral: um diabético (ou pré) pode comer basicamente qualquer tipo de alimento. A
      questão principal é a quantidade envolvida. Por exemplo, se gosta MUITO de chocolate, tentar um chocolate amargo ou
      com maior proporção de cacau, ou, se for um chocolate “doce”, uma pequena porção, EVENTUALMENTE. Comprovadamente as
      dietas mais restritivas (abolição total de um alimento) em relação a alimentos que o paciente tem muito desejo são as
      menos eficientes.

      4. Quanto à polenta: por ser mais processada (quebra das fibras) que o milho em espiga, possui maior capacidade de elevar a glicose rapidamente que aquele. Não é dos piores alimentos que se possa ingerir, mas também não é indicado. De forma que, caso você tenha muita vontade de consumi-la, faça-o ocasionalmente e em pequenas quantidade (uma a três colheres de sopa, por exemplo). Cabe ressaltar que cada organismo reage de uma forma, estes são dados médios. Então quando e se o fizer, procure medir a sua glicemia 2 horas após o consumo para verificar o quanto ela influi na sua glicemia. Se muito, evitar ou reduzir ainda mais a porção.

      5. Feijão: A Associação Americana de Diabetes aconselha as pessoas com diabetes a adicioná-lo sem sódio a várias refeições a cada semana. Eles são baixos no índice glicêmico e podem ajudar a gerenciar os níveis de açúcar no sangue melhor do que muitos outros alimentos ricos em amido. Os feijões também contêm proteínas e fibras, tornando-os um componente nutricional importante para cada refeição. Com tantos tipos de feijão disponíveis, é provável que haja um que se adapte ao seu gosto. Note-se que, como praticamente tudo (até água) em excesso pode fazer mal, então tenha em mente consumir porções controladas a cada vez. Maiores informações em https://controledadiabetes.com.br/diabetes-e-arroz-e-feijao-saiba-como-eles-afetam-a-sua-glicemia/

      6. Carne: pode ser consumida normalmente. Aqui cabe também o mesmo preceito do controle da porção, assim como o
      do consumo de alimentos prejudiciais ao colesterol, que também (infelizmente) anda de “mãos dadas” com a diabetes. Para
      maiores informações, veja o artigo https://controledadiabetes.com.br/diabetes-e-carnes/ .

      Esperamos ter ajudado. Saúde.

      Controle da Diabetes Brasil

  1. Sou diabetico tipo 2 – gostei bastante do artigo, gostaria de receber outros artigos sobre o assunto.

  2. Bom dia tenho diabetes tipo 2 e faço uso de diamicron e nesina e insulina gostei muito das suas explicações me foram muito úteis Deus te abençoe

    1. Agradecemos ao seu comentário e esperamos sinceramente ter ajudado. Caso tenha alguma dúvida sobre diabetes e suas complicações fique à vontade para nos escrever.

      Paz e saúde!

      Henrique
      Controle da Diabetes Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *