DIABETES E GLICOSE ALTA: 15 MANEIRAS NATURAIS DE REDUZIR A GLICOSE NO SANGUE

15 maneiras naturais de controlar a glicemia

Estilo de vida | Exercícios | Carboidratos | Fibras | Água | Porção | Índice Glicêmico | Estresse | Monitoramento | Sono | Cromo | Canela | Berberina | Feno Grego | Controle do Peso | Leve com você | Recomendações | Fontes

Diabetes e glicose alta: caso não queira ou não consiga ler este conteúdo, ele também pode ser ouvido em nosso site. Para isso clique aqui, ou use o tocador abaixo.

Se você tem diabetes ou pré-diabetes, ela, obviamente, está em vários estágios de severidade: branda, moderada, intermediária, aguda, … e por conta do quadro, você pode ter que consumir alguns medicamentos e/ou adotar mudanças mais ou menos radicais em seu estilo de vida, da atividade física à alimentação saudável.

 

Porém uma coisa é certa, simplesmente ignorá-la não irá resolver a questão. Pelo contrário. Ela só tende a ir em uma direção: a piora do estado de saúde. E comento este ponto não para ser “professoral”, mas de quem seguiu por esta linha equivocada a ponto de, no ápice do descaso, “ganhar” uma estadia de dias em uma UTI, “amarrado” a uma bomba de insulina. Desejo imensamente que ninguém necessite passar pelo quadro de “quase coma” ou de “quase uma passagem de ida para o outro lado”. Como dizia minha avó, que “não era letrada, mas era sabida”: “dinheiro e saúde não suportam desaforo: vão-se embora!”. Ainda que não seja na semana que vem, ou no mês que vem, ao longo dos anos a hiperglicemia crônica provocará sequelas e estas não são simples, podem ser bem perigosas e via de regra irreversíveis!

 

Em muitos casos, a simples mudança de comportamento evita a evolução do quadro, inclusive sem a necessidade de medicamentos, que muitas vezes tratam somente sintomas e não as causas. E com medicamentos de uso contínuo, normalmente você consegue: ter um gasto considerável permanentemente, conviver com a perspectiva de aumento de doses ou substituição por medicamentos mais poderosos com o decorrer do tempo e potenciais efeitos colaterais alguns inclusive desconhecidos pela ciência.  

 

Logo, na minha opinião de doente crônico de uma diabetes severa, a melhor opção que podemos tomar é tratar o melhor possível nossa glicemia, e, preferencialmente da forma mais natural possível e focando na origem do problema.

 

Isso dito, seguem 15 medidas que você pode tomar para melhorar o controle natural da sua glicemia. Espero honestamente que ajude a você! Paz e saúde!

 

Diabetes e glicose alta: por que mudar seu estilo de vida?

O alto nível de açúcar no sangue ocorre quando seu corpo não produz insulina suficiente ou não a usa de maneira eficaz, e que é um hormônio que regula a glicose no sangue e a ajuda a entrar em suas células para obter energia.

 

Açúcar elevado no sangue (hiperglicemia) está associado à diabetes. Nos Estados Unidos, por exemplo, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças relatam que 13% dos adultos vivem com diabetes e 34,5% têm pré-diabetes e no Brasil os últimos dados apontam para 16 milhões de diabéticos diagnosticados.

 

Considerando o caráter praticamente epidêmico da glicemia descontrolada e as severas complicações deste fenômeno, apresentamos a seguir 14 maneiras naturais de reduzir o açúcar no sangue.

 

Natural em tese é melhor do que outros métodos, como eventual excesso de medicação, mas também requer atenção para evitar desconfortos ou riscos, por exemplo, de hipoglicemia severa. Então devem ser aplicados com cuidado e sabedoria. Seguem as nossas sugestões e boa glicemia!

 

1. Diabetes e glicose alta: faça exercícios regularmente

O exercício regular pode ajudá-lo a obter e manter um peso moderado e aumentar a sua sensibilidade à insulina.

 

O aumento da sensibilidade à insulina significa que suas células são mais capazes de absorver e usar o açúcar disponível em sua corrente sanguínea.

 

Os exercícios também ajudam os músculos a usar o açúcar no sangue para obterem energia e contração muscular.

 

Se você tiver grandes variações no açúcar no sangue, verifique seus níveis periodicamente. Antes e após o treino, quando for iniciar uma atividade física nova, ou ao mudar substancialmente a sua rotina de exercícios. Isso o ajudará a aprender como você responde a diferentes atividades e evitar que seus níveis de açúcar no sangue fiquem muito altos ou muito baixos.

 

Formas úteis de exercícios incluem levantamento de peso, caminhada rápida, corrida, ciclismo, dança, caminhada, natação e várias outras. Tente aquela com a qual mais se identifique.

 

Em tese, quanto mais intenso o exercício melhor para o controle da glicemia na corrente sanguínea. Uma sugestão comum é usar o método HIIT. Entretanto esteja atento a sua capacidade e condição física para evitar lesões ou outras complicações. Ou seja, faça o mais intenso, dentro das suas condições físicas e de saúde. E lembre-se de ter à mão algum alimento que possa aumentar o açúcar no sangue em caso de hipoglicemias, que não são incomuns com a atividade física.

 

De qualquer forma, o exercício mais suave ou simples, sempre será melhor que nenhum.

 

2. Diabetes e glicose alta: gerencie sua ingestão de carboidratos simples

Os carboidratos são 1 dos 3 principais macronutrientes de que os humanos precisam para sobreviver – os outros são proteínas e gordura. Quase todos os alimentos contêm carboidratos. Normalmente, quando o alimento é referido como “rico em carboidratos”, isso significa simplesmente que contém mais carboidratos em seu perfil do que qualquer um dos outros dois macronutrientes.

 

Quando você come e digere carboidratos, eles são convertidos em glicose, que abastece o corpo e o cérebro e fornece energia.

 

Existem 2 tipos principais de carboidratos, carboidratos simples e carboidratos complexos.

 

Carboidratos simples (também conhecidos como carboidratos refinados ou açúcares)

Incluem açúcares e grãos refinados que foram desprovidos de todos os nutrientes e são digeridos muito rapidamente. Quando você os ingere, eles aumentam rapidamente seus níveis de açúcar no sangue e podem ter efeitos de longo prazo na capacidade do seu corpo de lidar com o excesso de insulina e glicose no sangue.

 

Esses açúcares são os carboidratos que você definitivamente deseja limitar ou evitar em sua dieta. Especialmente se você estiver preocupado com seus níveis de açúcar no sangue ou perda de peso.

 

Carboidratos complexos (também conhecidos como carboidratos inteiros)

Carboidratos complexos incluem fibras e amidos que TAMBÉM são considerados carboidratos, mas não são açúcares. Esses tipos de carboidratos demoram mais para o corpo digerir, então eles não aumentam o açúcar no sangue da mesma forma que os açúcares.

 

Quando se trata de carboidratos, quanto mais complexos, melhores são para o controle do açúcar no sangue. Quanto mais próximos de um alimento inteiro (não processado) estiverem, melhor. E quanto mais fibras contiverem, melhor.

 

Amidos

Os amidos são os alimentos vegetais que geralmente causam mais confusão no que diz respeito à regulação do açúcar no sangue.

 

Os amidos podem ser prejudiciais ou úteis, dependendo do tipo e da forma em que se encontram. Por exemplo, a aveia é um amido e pode ajudar a controlar o açúcar e o colesterol no sangue. A batata e a mandioca por outro lado, requerem mais cuidados ao serem consumidas.

 

Alguns amidos podem ser consumidos com moderação, sem muitos efeitos negativos sobre o açúcar no sangue. Esses amidos ​​incluem alimentos como batatas e pão integral. Mas se você comer um prato cheio de batatas, seu açúcar no sangue quase certamente será afetado negativamente. Se você comer uma pequena porção desses carboidratos combinados com gordura e proteína, será menos provável que tenha um aumento na glicose. Cada pessoa responde de maneira diferente, dependendo de sua resposta única de açúcar no sangue.

 

A Associação Americana de Diabetes recomenda controlar a ingestão de carboidratos contando os carboidratos e que você estando ciente de quantos você precisa e pode consumir diariamente. Um manual da Sociedade Brasileira de Diabetes para essa contagem pode ser encontrado em www.diabetes.com.br.  Você pode também seguir outros métodos. Este site oferece uma alternativa através de livro digital que ensina como fazer de forma correta uma dieta low-carb. Clique aqui para saber mais.

 

Alguns estudos descobriram que esses métodos de controle de ingestão de carboidratos simples através do planejamento adequado de refeições, melhora substancialmente o controle do açúcar no sangue.

 

Muitos estudos também mostram que uma dieta baixa em carboidratos ajuda a reduzir substancialmente os níveis de açúcar no sangue e prevenir picos pós-prandiais (após as refeições).

 

Além do mais, uma dieta baixa em carboidratos pode ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue a longo prazo.

3.Diabetes e glicose alta:  aumente a ingestão de fibras

A fibra retarda a digestão do carboidrato e a absorção do açúcar. Por essas razões, promove um aumento mais gradual e benéfico dos níveis de açúcar no sangue, evitando os picos anormais de glicemia, que são os “grandes vilões” da diabetes.

 

Além disso, o tipo de fibra que você ingere pode ter um papel importante.

 

Existem dois tipos de fibras:

  • insolúvel
  • solúvel

 

Embora ambas sejam importantes, a fibra solúvel demonstrou de forma clara melhorar o gerenciamento do açúcar no sangue.

 

Além disso, uma dieta rica em fibras pode ajudar a controlar melhor a diabetes, melhorando a capacidade do corpo de regular o açúcar no sangue e reduzindo o seu nível.

 

Os alimentos ricos em fibras incluem:

  • legumes
  • frutas
  • leguminosas
  • grãos inteiros

 

A ingestão diária recomendada de fibra é de cerca de 25 gramas para mulheres e 38 gramas para homens. Isso é cerca de 14 gramas para cada 1.000 calorias.

 

4.Diabetes e glicose alta:  beba água e mantenha-se hidratado

Beber bastante água pode ajudá-lo a manter seus níveis de açúcar no sangue dentro de limites saudáveis.

 

Além de prevenir a desidratação, ajuda os rins a eliminar o excesso de açúcar pela urina.

 

Um estudo observacional mostrou que aqueles que beberam mais água tiveram um risco menor de desenvolver altos níveis de açúcar no sangue.

 

Beber água regularmente ajuda a reidratar o sangue, reduz os níveis de açúcar no sangue e pode reduzir o risco de diabetes.

 

Lembre-se de que água e outras bebidas não calóricas são as melhores. As bebidas adoçadas com açúcar, como refrigerante, aumentam a glicose no sangue, aumentam o ganho de peso e aumentam o risco de diabetes. Par ase ter uma ideia, uma garrafa de 600 ml de refrigerante tradicional tem o equivalente a DEZOITO colheres de chá de açúcar refinado!

 

5.Diabetes e glicose alta: controlar a quantidade de alimento

O controle da porção ajuda a regular a ingestão de calorias e pode ajudar a manter um peso moderado.

 

Consequentemente, o controle de peso promove níveis saudáveis ​​de açúcar no sangue e demonstrou reduzir o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

 

Monitorar o tamanho das porções também ajuda a reduzir a ingestão de calorias e os subsequentes picos de açúcar no sangue.

 

Aqui estão algumas dicas que podem ser úteis para gerenciar o tamanho das porções:

  • Meça ou pese as porções para mantê-las dentro de seu limite.
  • Use pratos menores. Incrivelmente funciona com a maioria das pessoas.
  • Evite restaurantes com serviços de rodízio.
  • Leia os rótulos dos alimentos e verifique os tamanhos das porções, assim como a informação nutricional.
  • Mantenha um diário alimentar e se possível com as medições capilares feitas, o que vai ajudar a saber se comer a mais ou se algum alimento afetam negativamente sua glicemia.
  • Coma devagar ou melhor mastigue bem os alimentos.

 

6.Diabetes e glicose alta: escolha alimentos com baixo índice glicêmico

O índice glicêmico mede como absorvemos ou digerimos os alimentos, o que afeta a taxa de aumento dos níveis de açúcar no sangue.

 

Tanto a quantidade, quanto o tipo de carboidratos determinam como um alimento afeta os níveis de açúcar no sangue.

 

Comer alimentos de baixo índice glicêmico demonstrou reduzir os níveis de açúcar no sangue em pessoas com diabetes.

 

Embora o índice glicêmico dos alimentos seja importante, a quantidade de carboidratos consumidos também é importante.

 

Alimentos com índice glicêmico baixo a moderado incluem por exemplo:

  • triguilho trigo que foi parboilizado, seco e moído (trigo usado em quibes)
  • cevada
  • iogurte natural sem açúcar
  • aveia
  • feijões
  • lentilhas
  • leguminosas
  • vegetais sem amido

 

7.Diabetes e glicose alta: gerencie os níveis de estresse

O estresse pode afetar seus níveis de açúcar no sangue.

 

Hormônios como glucagon e cortisol são secretados durante o estresse. Esses hormônios fazem com que os níveis de açúcar no sangue aumentem.

 

Um estudo mostrou que exercícios, relaxamento e meditação reduziram significativamente o estresse e reduziram os níveis de açúcar no sangue dos alunos.

 

Exercícios e métodos de relaxamento, como ioga e redução do estresse com base na atenção plena, também podem ajudar a corrigir problemas de secreção de insulina no diabetes crônico.

 

8.Diabetes e glicose alta: monitore seus níveis de açúcar no sangue

O que é medido pode ser controlado.”

 

Medir e monitorar os níveis de glicose no sangue também pode ajudar a gerenciar melhor sua glicemia.

 

Por exemplo, medições adequadas ajudam a determinar se você precisa fazer ajustes nas refeições ou medicamentos.

 

Também ajudará a descobrir como seu corpo reage a certos alimentos.

 

Uma sugestão de medições segue o seguinte padrão:

  • medir a glicemia, em dias alternados, a cada 1,2,3,5,7 dias (como achar mais indicado e de acordo com a severidade do momento)
  • a cada dia, medir antes da refeição, uma hora após e 2 horas após.
  • alternar, a cada dia, os horários das medições: no primeiro dia meça no café da manhã, no próximo dia que for medir, faça isso no almoço, e nos outros dias, no café da tarde (se for o caso) e no jantar. Recomece pelo jejum e café da manhã todo o ciclo.
  • ao final de alguns dias de medições você terá um padrão que pode ser avaliado.
  • anote ou salve os valores, e se algum deles estiver “fora do normal” anote também o que consumiu, assim como a quantidade ingerida.
  • apresente ao seu médico e/ou nutricionista em conjunto com os exames laboratoriais para avaliar quais alimentos estão produzindo efeitos negativos

 

Com informações mais detalhadas o profissional de saúde pode alterar a sua dieta e/ou sua medicação de forma mais adequada.

9.Diabetes e glicose alta: durma com qualidade suficiente

Dormir o suficiente é excelente e é necessário para uma boa saúde.

 

Os maus hábitos de sono e a falta de descanso também podem afetar os níveis de açúcar no sangue e a sensibilidade à insulina. Eles podem aumentar o apetite e promover o ganho de peso.

 

A privação de sono diminui a liberação de hormônios de crescimento e aumenta os níveis de cortisol. Ambos desempenham um papel essencial no gerenciamento de açúcar no sangue.

 

Além disso, o sono adequado envolve quantidade e qualidade. É melhor dormir uma quantidade suficiente de sono de alta qualidade todas as noites.

 

10.Diabetes e glicose alta:  coma alimentos ricos em cromo e magnésio

Níveis elevados de açúcar no sangue e diabetes também foram associados a deficiências de micronutrientes.

 

Os exemplos incluem deficiências nos minerais cromo e magnésio.

 

O cromo está envolvido no metabolismo de carboidratos e gorduras. Também ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue. A falta de cromo pode predispor você à intolerância aos carboidratos.

 

No entanto, os mecanismos por trás disso não são totalmente conhecidos. Os estudos também relatam resultados mistos.

 

Alguns estudos com pessoas com diabetes mostraram que o cromo traz benefícios para o controle do açúcar no sangue a longo prazo. No entanto, outros resultados não conclusivos também foram encontrados.

 

Alimentos ricos em cromo incluem:

  • carnes
  • produtos de grãos inteiros
  • fruta
  • legumes
  • nozes

 

O magnésio também demonstrou beneficiar os níveis de açúcar no sangue, enquanto a deficiência de magnésio foi associada a um risco maior de desenvolver diabetes.

 

Estudos relacionaram indivíduos com a maior ingestão de magnésio a um risco até 47% menor de desenvolver diabetes tipo 2.

 

Mas se você já come muitos alimentos ricos em magnésio, provavelmente não se beneficiará com os suplementos.

 

Alimentos ricos em magnésio incluem:

  • folhas verdes escuras
  • abóbora e sementes de abóbora
  • atum
  • grãos inteiros
  • chocolate escuro
  • bananas
  • abacates
  • feijões

 

Diabetes e glicose alta:  experimente o vinagre de maçã

O vinagre de maçã traz muitos benefícios à saúde.

 

Promove níveis mais baixos de açúcar no sangue em jejum, possivelmente diminuindo sua produção pelo fígado ou aumentando seu uso pelas células.

 

Além disso, estudos mostram que o vinagre influencia significativamente a resposta do seu corpo aos açúcares e pode ajudar a melhorar a sensibilidade à insulina.

 

Ele pode ser misturado com água para beber antes de uma refeição rica em carboidratos ou misturado ao molho para salada.

 

No entanto, é essencial conversar com seu médico antes de tomar vinagre de maçã se você já estiver tomando medicamentos que baixam o açúcar no sangue.

 

11.Diabetes e glicose alta:  experimente o extrato de canela

A canela é conhecida por ter muitos benefícios para a saúde.

 

Foi demonstrado que melhora a sensibilidade à insulina ao diminuir a resistência à insulina no nível celular.

 

Estudos mostram que a canela também pode reduzir os níveis de açúcar no sangue em até 29%.

 

Ele retarda a degradação dos carboidratos no trato digestivo, o que modera o aumento do açúcar no sangue após uma refeição.

 

No entanto, há riscos envolvidos se você tomar canela em excesso.

 

12.Diabetes e glicose alta:  experimente berberina

A berberina é o componente ativo de uma erva usada na medicina tradicional chinesa, incluindo o tratamento da diabetes.

 

Foi demonstrado que a berberina ajuda a reduzir o açúcar no sangue e aumenta a decomposição de carboidratos para obter energia.

 

Além do mais, a berberina pode ser tão eficaz quanto alguns medicamentos para baixar o açúcar no sangue. Isso o torna um dos suplementos mais eficazes para pessoas com diabetes ou pré-diabetes.

 

No entanto, muitos dos mecanismos por trás de seus efeitos ainda são desconhecidos. Mais estudos de alta qualidade são necessários para determinar sua segurança e eficácia.

 

Além disso, pode ter alguns efeitos colaterais, como:

  • diarreia
  • constipação
  • flatulência
  • dor abdominal

Fale com seu médico primeiro se você estiver pensando em usar berberina.

 

13.Diabetes e glicose alta:  coma sementes de feno-grego

As sementes de feno-grego são uma ótima fonte de fibra solúvel, que pode ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue.

 

Muitos estudos demonstraram que o feno-grego pode efetivamente reduzir o açúcar no sangue em pessoas com diabetes. Também ajuda a reduzir a glicose em jejum e melhorar a tolerância à glicose.

 

Embora não seja tão popular, o feno-grego pode ser adicionado a produtos assados ​​para ajudar a tratar a diabetes.

 

A dose recomendada de sementes de feno-grego é de 2 a 5 gramas por dia, embora isso varie de estudo para estudo.

 

14.Diabetes e glicose alta: mantenha um peso moderado

É óbvio que manter um peso moderado ajudará a melhorar sua saúde e pode ajudar a prevenir problemas de saúde futuros.

 

O controle de peso também promove níveis saudáveis ​​de açúcar no sangue e demonstrou ajudar a reduzir o risco de desenvolver diabetes.

 

Mesmo uma redução de 7% no peso corporal pode diminuir seu risco de desenvolver diabetes em até 58% e parece funcionar ainda melhor do que um medicamento comum para diabetes.

 

Além do mais, essa redução de riscos pode ser sustentada a longo prazo.

 

É importante monitorar sua cintura, ou seja, medir periodicamente, pois talvez seja o fator relacionado ao peso mais importante para estimar o risco de diabetes.

 

Uma medida de mais 88,9 cm para mulheres e mais de 101,6 cm para homens está associada a um risco aumentado de desenvolver resistência à insulina, níveis elevados de açúcar no sangue e diabetes tipo 2.

 

Ter uma medida de cintura saudável pode até ser mais importante do que seu peso total.

Leve com você

Certifique-se de falar com seu médico antes de fazer mudanças no estilo de vida ou tentar novos suplementos.

 

Isso é particularmente importante se você tiver problemas com o controle do açúcar no sangue ou se estiver tomando medicamentos para reduzir os níveis de glicose no sangue.

 

Se você tem diabetes ou tem problemas de controle de açúcar no sangue, é importante trabalhar com seu médico para criar e iniciar um plano de tratamento o mais rápido possível.

 

Recomendações

Para controle da diabetes através de uma alimentação saudável, dieta recomendada, receitas, livros gratuitos e outras publicações indicadas para diabéticos visite Produtos Recomendados em www.controledadiabetes.com.br/produtos-indicados/. Clique aqui para saber mais.

 

Fontes:

[su_accordion class=””] [su_spoiler title=”Clique aqui para visualizar as fontes” open=”no” style=”default” icon=”plus-circle” anchor=”” class=””]

[/su_spoiler] [/su_accordion]

2 thoughts on “DIABETES E GLICOSE ALTA: 15 MANEIRAS NATURAIS DE REDUZIR A GLICOSE NO SANGUE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *